• 27 maio 2009
  • Postado por Tiago

“[Lula] não é senador e não manda no Legislativo nem no Judiciário”

Senador Arthur Virgílio (PSDB-AM), ao ser questionado sobre a influência de Lula na CPI

Lula ambiciona, acredite,

o Nobel da Paz

O presidente Lula acha que o Bolsa-Família, que beneficia 13 milhões de famílias, poderá render a ele o Prêmio Nobel da Paz. Uma superstição o autoriza a sonhar com a honraria: em julho ele receberá da Unesco (órgão das Nações Unidas para educação, cultura e ciência) o Prêmio Houphouët-Boigny. Vencedores desse prêmio, como Nelson Mandela, Yasser Arafat e Jimmy Carter, ganharam em seguida o Nobel da Paz.

Sou da paz

Lula ganhou o Prêmio Houphouët-Boigny, segundo a Unesco, “por sua contribuição à paz, ao diálogo, à justiça social e à igualdade de direitos”.

Cabo eleitoral

A rainha Silvia, da Suécia, é simpática ao Nobel da Paz para Lula, por isso foi convidada a virar uma espécie de coordenadora da “campanha”.

O exemplo

Lula se mira no exemplo de Muhammad Yunus, que em 2006 ganhou o Nobel por criar um banco, em Bangladesh, que dá crédito a pobres.

Bolso forrado

O Prêmio Houphouët-Boigny, que Lula receberá em Paris, no dia 7 de julho, é acompanhado de um cheque de € 170 mil (R$ 500 mil).

Sarney teme o Nordeste separado do Brasil

O maranhense José Sarney, presidente do Senado, conhece bem as desigualdades históricas da região, por isso, para ele, o Nordeste “é o único lugar do Brasil onde o germe da ‘secessão’ (separação) está inoculado”. Ele não sabe se esse “germe” vai se desenvolver agora, “mas daqui a cinquenta anos…” Sua advertência, ontem, quase passou desapercebida, durante a visita do ministro sealopra Mangabeira Unger.

Ninguém tasca

A Petrobras tem seus encantos, por isso Lula não queria a CPI e quer presidir a estatal, como segredou ontem ao semi-ditador Hugo Chávez.

Greve de terceirizados

A greve dos vigilantes do DF afeta prédios públicos como o Ministério da Fazenda, obrigado a substituir os terceirizados por servidores vigilantes.

Sabatina

O futuro embaixador do Brasil na República Dominicana, João Solano Carneiro da Cunha, será sabatinado amanhã no Senado.

Proposta paraguaia é inviável

Parecer da diretoria jurídica de Itaipu acha inviável a proposta paraguaia de vender a energia não consumida pelo Paraguai no mercado livre brasileiro, e não à Eletrobrás. O tratado dá exclusividade à Eletrobrás. E não prevê que a estatal paraguaia Ande compre a energia excedente.

Não compensa

A idéia paraguaia de vender energia perdeu força com a queda nos preços no mercado “spot” (atacado): no Norte/Nordeste, o MWh custa R$ 16 e na região Sudeste, R$ 30. E a energia de Itaipu custa R$ 80 o MWh.

Vaga só em 2010

A derrota do Itamaraty na Organização Mundial do Comércio emperrou a fila de acesso ao Supremo Tribunal Federal. Vaga agora só em 2010, na compulsória de Eros Grau. Aos 61, Ellen Gracie fica no STF até 2018.

Venezuela com Chávez, não

Prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, opositor de Hugo Chávez, pediu a José Sarney que a Venezuela seja barrada no Mercosul por ofender a “cláusula democrática” exigida dos países-membros. Chávez criou um “governador de Caracas” para esvaziar o prefeito eleito pelo povo.

Cobrança ilegal…

O Detran-DF rescindiu o contrato com um Instituto de Registro de Títulos e Documentos, dos donos de cartórios, que ganhava dinheiro fácil com o registro obrigatório e ilegal de contratos de financiamento de veículos.

…por baixo do pano

Agora, a secretaria de Transportes do DF negocia “contrato emergencial” idêntico com uma Planet Business, empresa que opera em quatro estados (RN, PB, CE e MS) com o software que fez para os cartórios.

Carne mais cara

Vem aumento da carne por aí. Pecuaristas do Centro-Oeste fecharam acordo para restringir o fornecimento aos frigoríficos. Exigem pagamento à vista, e com reajuste na arroba. O consumidor é que vai pagar o pato.

Vai que pega…

Conhecendo sua fama de pé-frio, cuja última vítima foi o craque Ronaldo, a oposição venezuelana adora quando Lula reencontra Hugo Chávez…

PODER SEM PUDOR

Pinel e cadeia

O candidato Adhemar de Barros sempre marcava seus comícios numa cidade antes de Jânio Quadros. Certa feita, os dois grupos se encontraram em Mogi-Guaçú (SP).

– Entre as várias obras que fiz em São Paulo está o Pinel, hospital de loucos. Infelizmente, não foi possível internar todos. Um desses loucos havia escapado e fará comício nesta mesma praça amanhã.

No dia seguinte, Jânio dá o troco:

– Quando fui governador de São Paulo, construí várias penitenciárias, mas não foi possível trancafiar todos os ladrões. Um escapou e fez um comício aqui mesmo nesta praça ontem.

  •  

Deixe uma Resposta