• 28 maio 2009
  • Postado por Tiago

China leva nosso petróleo por 13 dólares

A China fez o negócio da China e o Brasil papel de otário, no empréstimo de US$ 10 bilhões à Petrobras em troca de 200 mil barris/dia de petróleo por 10 anos. Especialista respeitado, John Forman, ex-diretor da Agência Nacional de Petróleo, fez as contas: a China pagará US$ 2.739.726,02 por 200 mil barris/dia. Cada barril, hoje cotado em US$ 28,37 (valia US$ 138 há um ano), sairá pela merreca de US$ 13,70.

Nada a declarar

A Petrobras não comentou os cálculos de John Forman, ex-presidente da Nuclebrás e um dos maiores especialistas em energia do País.

É grave a crise

O presidente francês Nicolas Sarkozy vai desembarcar do financiamento de submarinos pela Marinha brasileira, no valor de US$ 17,5 bilhões.

Alma do negócio

Com a cidade mergulhada no lixo, o prefeito do Recife (PE), João da Costa (PE), tomou uma atitude: vai investir mais em propaganda.

Chávez é nosso rei

O presidente Lula, cujo governo nega recursos aos metrôs de cidades como Rio, São Paulo e Brasília, vai financiar o metrô de Caracas.

BB e Caixa aproveitam greve e tiram folga

Sofrem os clientes do Banco do Brasil e da Caixa, em Brasília, cujas agências fecharam a pretexto da greve de vigilantes. Fechadas, as agências funcionaram internamente, até com tranqüilidade, certo? Errado: quem ligou para gerentes, por exemplo, para tratar de análise de cadastro ou financiamento imobiliário, em pleno “feirão da Caixa”, não os encontrou. “Foram para casa”, informavam uns poucos que trabalharam.

Conveniente

No BB, um cliente perguntou por que a PM não foi convocada para fazer a vigilância das agências. A resposta cínica: “Ninguém se lembrou…”

Nova cineasta

A talentosa artista plástica Joana Limongi agora faz cinema. Concluiu o curta “A descoberta do mel”, com trilha sonora de Naná Vasconcelos.

Aposentados

Lula autorizou reajuste de 14,1% no valor do Bolsa-Família, mas os aposentados, que ele jurou respeitar, terão aumento de Apenas 5,92%.

Ouvidos moucos

Sempre que o líder do PSDB Arthur Virgílio (AM) se inscreve para falar, o presidente do Senado, José Sarney, dá um jeito de abandonar o plenário. Não quer dar ouvidos a eventuais malcriações do tucano.

Pré-operatório

Antes de viajar a São Paulo na terça, para operar o aneurisma cerebral, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, fica em Brasília com os pais e participando de rodadas de orações em uma igreja do Lago Sul.

Na torcida

O julgamento do governador catarinense Luiz Henrique, hoje, terá na plateia do TSE o jornalista Nei Silva, autor de várias denúncias graves contra ele. Perseguido, o denunciante virou réu e teve o livro censurado.

Falsidade

Houve senadores se derramando em elogios a Jefferson Peres, esta semana no Senado, que nem conheceu e sequer seria cumprimentado pelo falecido, se tivessem exercido mandato ao mesmo tempo.

Pernas curtas

No DF, a deputada Jaqueline Roriz (PMDB) anunciou ontem que deixou a base de apoio ao governo José Roberto Arruda. Seu pai Joaquim Roriz há dias insultou o deputado Tadeu Filippelli quando ele lembrou que a filha era da base arrudista. Ou seja, não foi Filippelli quem mentiu.

Só rezando

O senador Mario Couto (PSDB-PA) apresentou mais um requerimento – com 30 assinaturas – pedindo a criação da CPI do DNIT. O senador afirmou que, desta vez, “apelou para Nossa Senhora de Nazaré” para que os parlamentares não retirem as assinaturas.

Faça o que digo, mas…

O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) disse desejar ver o diretor do DNIT, Luiz Pagot, depondo no Senado, mas não assinou o requerimento do senador Mario Couto que pede a criação de uma CPI sobre o órgão.

Sempre na vantagem

O Planalto gostou da ideia dos deputados petistas Pedro Eugênio (PE), Cláudio Vignatti (SC) e Ricardo Berzoini (SP) de premiar com redução no compulsório e em impostos os bancos que cobrarem por serviços abaixo da tabela do Banco Central. É como premiar o cidadão por não roubar.

Pensando bem…

…há CPIs que acabam em pizza, mas a que se instala no Senado para investigar desmandos na Petrobras vai servir pizza logo na entrada.

PODER SEM PUDOR

Quentinha para viagem

Tasso Jereissati era governador do Ceará quando recebeu a visita do então ministro da Justiça, o brilhante ex-senador gaúcho Paulo Brossard. Informado de que o jurista era bom garfo e apreciava a culinária local, Jereissati recomendou uma mesa farta, no almoço que ofereceu em sua homenagem. Brossard comeu como um condenado, mas o anfitrião só esboçou o seu melhor olhar de incredulidade quando um assessor se aproximou com uma caixa na mão e perguntou ao ministro, sem rodeios:

– O senhor não quer escolher o que vamos levar para comer na viagem?

  •  

Deixe uma Resposta