• 02 jun 2009
  • Postado por Tiago

“Ninguém pode nem achar bom e nem ruim”

Dilma Rousseff, ao comentar a pesquisa que a coloca próxima do rival José Serra

Cartões: governo gasta mais R$ 10 milhões

Os gastos do governo Lula com a utilização de cartões corporativos cresceram R$ 10 milhões em pouco mais de um mês. Até o final de abril, o governo Lula havia torrado quase R$ 14 milhões com os cartões, mas até o último dia de maio o balanço já registrava gastos de R$ 23,4 milhões. A Presidência da República continua o órgão da administração pública que mais utiliza cartões: R$ 6,3 milhões só este ano.

Caixa preta

Entre os gastos da Presidência, R$ 3,5 milhões são “sigilosos” em razão de “segurança nacional”. Assim como os R$ 2,2 milhões da Abin.

Poupar é ganhar

O Ministério do Esporte, que já andou pagando tapioca com cartão corporativo, é agora o que menos gasta: R$ 4,6 mil em um mês.

Pé no freio

Frase repetida pelo governador paulista José Serra (PSDB) a ouvidos amigos: “Eu quero muito ser presidente, mas não de qualquer maneira”.

Homenagem

No concerto gratuito das terças, hoje, a Orquestra Sinfônica de Brasília homenageará seu ex-regente Silvio Barbato, passageiro do voo 447.

Órgão federal ensina culinária no expediente

A Secretaria de Patrimônio da União, do Ministério do Planejamento, promove, esta semana, a pretexto de uma “semana do meio ambiente”, até mesmo um curso de “aproveitamento de alimentos” da “Cozinha Brasil Sesi”. O curso é de segunda a quinta ou de terça a sexta, em horários variados, das 8h às 18h. Enquanto a rapaziada da SPU se delicia em pleno horário de expediente, o contribuinte paga seus salários.

Tudo a ver

Além de oferecer o curso de cozinha para seus funcionários, a Secretaria de Patrimônio da União estendeu o convite a servidores do Senado.

Débito em conta

O PT-MS culpa a derrota de Campo Grande, para sediar a Copa, à falta de esforço do governador André Pucinelli e do senador Delcídio Amaral.

Vexame

A desistência do brasileiro Márcio Barbosa de disputar o comando da Unesco, por falta de apoio do governo Lula, envergonha o País.

Ordem é ‘zerar o estoque’

O presidente do Conselho Nacional de Justiça, ministro Gilmar Mendes, cobrará hoje o compromisso de todos os tribunais, incluindo o Supremo, de “zerar o estoque de processos” acumulados desde 2005.

Ranking da Justiça

O ministro Gilmar Mendes vai lembrar o compromisso de zerar o estoque de processos por ocasião do lançamento do programa “Justiça em Números”, que indicará onde a justiça é mais rápida ou mais lenta.

Ruim de serviço

Já nas primeiras horas de ontem, o presidente francês Nicolas Sarkozy manifestava pesar pela tragédia do voo 447. O presidente Lula manteve constrangedor silêncio, como na tragédia da TAM em Congonhas.

Logo cedo

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), soube do desaparecimento do avião da Air France ao amanhecer, em um telefonema do administrador de Fernando de Noronha, Romeu Batista.

O sem-juízo

FHC parece incorporar o estilo “melancia no pescoço”, para conseguir espaços na mídia: agora defende o afrouxamento no combate ao uso de drogas. Perdeu o juízo de vez, fazendo a alegria dos traficantes.

Marco da propaganda

A Petrobras apresenta hoje o rascunho do marco regulatório para exploração de petróleo na área do pré-sal. Mas, por enquanto, pretende gastar tanto dinheiro em propaganda quanto furando poço.

Porta-voz de Jucá

O senador tucano Álvaro Dias (PR) falava à tevê quando Romero Jucá (PMDB-RR) passou perto. A um aceno da repórter, Jucá disse que Dias “responderia” por ele. Ouviu o troco: “Quero responder pelo sr. na CPI…”

Olho no trambique

Uma das investigações da CPI da Petrobras tem como foco o desvio, por ex-funcionários da Agência Nacional do Petróleo, de pagamentos de royalties a municípios do Ceará, Pernambuco e Paraíba.

É grave a crise

A Presidência da República contratou por quase R$ 70 mil, ontem, uma empresa para fazer manutenção dos ressuscitadores cardiovasculares.

PODER SEM PUDOR

Lição sob o sol

Esta foi contada pelo senador Pedro Simon. A deputada Íris Araújo (PMDB-GO), atual presidente do partido, revelou em recente evento do partido em Goianésia, a primeira grande lição que recebeu do marido, o atual prefeito de Goiânia e ex-governador Íris Rezende.

– Eu estava no meu primeiro comício na vida, sob um sol escaldante, quando lembrei de abrir minha sombrinha. O Íris percebeu minha intenção e disse baixinho: “Não abra”. Fiquei intrigada. “Ora, por que eu não posso abrir uma sombrinha para me proteger?” A resposta de Íris:

– Porque o povo está no sol.

  •  

Deixe uma Resposta