• 03 jun 2009
  • Postado por Tiago

“Quem quer o terceiro [mandato] pode querer o 4º, o 5º ou o sexto”

Presidente Lula, garantindo que não brinca de democracia

Aécio aposta na desistência de Serra

O governador tucano de Minas, Aécio Neves, anda telefonando a políticos do seu partido e até a ministros do governo Lula advertindo para a iminência de “uma grande novidade” na disputa presidencial: a desistência do seu rival no PSDB, o governador paulista José Serra, que lidera as pesquisas. Aécio não acredita que Serra abandone a reeleição assegurada por uma difícil disputa pela sucessão do presidente Lula.

Licenciado

O líder tucano Arthur Virgílio (AM) observou que o ex-diretor do Senado Agaciel Maia “se sente como se fosse um senador licenciado”.

Ministros candidatos

Pelo menos 17 dos 36 ministros de Lula serão candidatos em 2010, mas devem deixar os cargos até dezembro e não em abril, como manda a lei.

Sem rodeios

A Infraero acatou a determinação do Tribunal de Contas da União e vai realizar nova licitação para a reforma do aeroporto de Vitória (ES).

Deu zebra

Quando soube que se aproximara do concorrente José Serra, segundo as pesquisas, Dilma Rousseff usava sapato com estampa de zebra.

Governo já gastou R$ 124 milhões em diárias

Até 1º junho, foram gastos R$ 124 milhões em diárias, no governo federal. Treze dos 15 maiores beneficiados são servidores do Ministério de Ciência e Tecnologia – eles embolsaram R$ 614,6 mil nos primeiros cinco meses do ano. José Damião Duarte Alonso (R$ 63,8 mil) e Bernardo Vertamartti (R$ 61 mil), Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais de São José dos Campos (SP) são os campeões em diárias.

Ranking 2009

Hamilton Bastos Silva, do Ministério da Fazenda, recebeu R$ 42,6 mil em diárias. Magali Naves, da Secretaria de Igualdade Racial, R$ 52,5 mil.

Perdeu

A governadora do Pará, Ana Júlia Carepa (PT), fez lobby no Congresso para Belém sediar a Copa. Errou de alvo e endereço: a CBF fica no Rio.

Mãos à obra

A CBF fará segunda-feira (8), no Rio, a primeira reunião de trabalho com representantes das cidades-sede da Copa de 2014.

Deixa que eu chuto

O ministro Carlos Minc (Meio Ambiente), aquele que fez apologia ao uso de drogas, pode ser chutado do governo antes de se acenderem as fogueiras de São João. Lula chega a se exasperar, referindo-se a ele.

Fim da ‘epidemia’

Em 2008, mais de 2500 dos quase 30 mil professores da rede pública do DF viviam sob licença médica, todo dia. Em véspera de feriado, mais de 3400 eram “contagiados”. Esse número agora caiu para cerca de 900.

Dor intensa

Muito abatida, sob efeito de calmantes, a mãe do maestro Silvio Barbato, que morreu no desastre do voo 447, pediu ontem, em Brasília, ao jornaleiro 107 Norte, para reservar jornais com a foto do filho na capa.

Bota-fora

Funcionários da Confederação Nacional da Indústria batucam suas mesas com crescente alegria, à medida em que se aproxima a saída do presidente da CNI, Armando Montero Neto. O sucessor será mineiro.

Briga feia

O ex-governador Zeca do PT quer disputar novamente o governo do Mato Grosso do Sul. Mas a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) já se comprometeu com a reeleição do aliado André Puccinelli (PMDB).

Nada feito

Tasso Jereissati (PSDB-CE) pode tirar o cavalinho de coronel da chuva: José Dirceu descartou qualquer aliança indireta de apoio à reeleição dele, pegando carona na reeleição do amigo governador Cid Gomes. O PT tem candidato ao Senado: ministro José Pimentel (Previdência)

Coisa feia

O Sindicato dos Aeroviários acusa a TAM de ameaçar com demissões funcionários da manutenção que não desistirem de uma ação coletiva contra a empresa para recebimento de adicional de periculosidade.

Chapa governista

Marqueteiros do Planalto imaginam uma chapa para enfrentar o tucanato paulista: Ciro Gomes (PSB) para governador e Aloízio Mercandante (PT) e Aldo Rebelo (PCdoB) para o Senado. Marta disputaria a Câmara.

Mente tortuosa

Itamar Franco diz desejar voltar ao governo de Minas, em 2010, para que todos pensem que ele quer ser senador. Mas ele quer o governo mesmo.

PODER SEM PUDOR

Quebra de safra no Sul

Ayrton Fernandes, competente repórter gaúcho, tentava descobrir o que levou o governador Amaral de Souza àquele encontro com o general João Figueiredo. Abordou o senador Dinarte Mariz (RN) à saída do gabinete.

– O senhor sabe se eles estão tratando da quebra de safra no Estado?

Mariz abriu os braços e afirmou, enquanto se dirigia ao elevador:

– Ora, meu filho, quebra de safra no Sul é uma história muito antiga! Veja você quantas safras quebradas: Brizola, Meneghetti, Peracchi, Triches, Guazzelli. E tudo italiano…

  •  

Deixe uma Resposta