• Postado por Tiago

GERAL-10---p---presidio-balneario-camboriu1.jpg-(1)

CNJ quer ajudar os presos e diminuir a superlotação dos cadeiões

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) bolou um projeto pra conscientizar os empresários sobre a importância de estender a mão e dar mais uma chance pra quem cometeu um crime. O programa, que leva o nome de ?Começar de Novo?, dá um empurrãozinho pra que o ex-preso volte ao mercado de trabalho. Em Balneário Camboriú, o cartório da vara de Execuções Penais informou que ainda não tem conhecimento de que alguma empresa tenha entrado no esquema por aqui. Mas a construtora Embraed, que faz apês pros chiques e endinheirados, tá passando por uma experiência parecida e aprovou o resultado.

A responsável pelo departamento de Recursos Humanos da construtora, Nilvana Cachoeira, conta que a empresa deu emprego a um pintor, que cumpria pena por assassinato.. ?Ele já tinha sido nosso funcionário e sempre trabalhou muito bem. Cometeu um erro, mas abrimos essa vaga pra que ele voltasse?, comenta.

Graças ao trampo, o pintor conseguiu aliviar os anos de cadeia e tá cumprindo pena em regime aberto.. Nilvana diz que o rapaz ficou tão contente em ser aceito dinovo que ajeitou sua vida e decidiu até se casar pra formar uma família. ?Mudou a vida dele. Pra nós é muito válido, porque a pessoa sente que alguém acreditou nela novamente?, comenta.

No caso da Embraed, a empresa atendeu um pedincho do próprio preso, que procurou trabalho quando curtia uns dias de arrego, fora da prisão. A construtora avisou à dona justa que poderia empregá-lo e fez a contratação.

Já o ?Começar de Novo? serve tanto pra empregar os presos que têm bom comportamento e podem pedir uma afrouxada no regime de prisão, quanto pra aqueles que já cumpriram pena e foram liberados. O objetivo é, ao mesmo tempo, diminuir a superlotação das cadeias e evitar que a pessoa volte ao mundo do crime depois de cumprir a pena.

  •  

Deixe uma Resposta