• 19 dez 2009
  • Postado por Tiago

deodato-casas---Foto-Felipe-VT-01

O presidente municipal do PSDB, Deodato Casas, acredita na inocência do vice-governador Leonel Pavan (PSDB), denunciado na Operação Transparência. Além disso, o tucano acredita que o partido tem que ocupar mais espaços no governo Jandir Bellini (PP), e receber o apoio as suas candidaturas a deputado estadual e federal, no ano que vem. Deodato fala sobre isso tudo na Coletiva de hoje.

O indiciamento de Leonel Pavan (PSDB) pela PF pode respingar na candidatura de José Roberto Provesi a deputado federal? – Fernando Alécio, jornalista.

Deodato – Acho que isso não vai interferir nas coisas, o Provesi é pré-candidato a deputado federal, eu sou pré-candidato a deputado estadual. É claro que o Pavan é o grande chefe do PSDB, mas as investigações precisam amadurecer, para aí então sabermos se o caso vai macular a imagem dele. Acho que ainda é muito cedo. Acredito na inocência dele, ele nunca teve problemas com corrupção. A polícia Federal vai investigar e a justiça é quem vai decidir. Toda vez que um homem público tem uma denúncia contra si, mesmo que não seja verdadeira, acaba marcando a imagem, mas no final, acredito que ele dará a volta por cima.

Se for confirmado o envolvimento do vice-governador nas denúncias, qual o nome alternativo para representar o partido na eleição para governador? – Sandro Silva, jornalista.

Deodato – Eu não vou chamar uma mulher de viúva se o marido dela ainda está vivo (risos). Isto é normal, houve uma denúncia e tudo que foi denunciado tem de ser provado. Esta hipótese nem passa pela cabeça dos dirigentes do PSDB. Todos nós confiamos nele, conhecemos quem ele é e temos certeza da inocência dele. Temos muitos nomes, mas nosso líder é o Pavan. Ele vai assumir o governo em janeiro, e vai ser o nosso candidato ao governo do estado. Com o passar do tempo, ele vai provar sua inocência, e no final ele será vitorioso. [As denúncias fazem o Pavan se enfraquecer na corrida por quem será o candidato ao governo, pela Tríplice Aliança?] Nas pesquisas que temos, o Pavan está com uma larga vantagem a frente do Raimundo Colombo (DEM) e do Pinho Moreira (PMDB). Ele é um homem público, e as denúncias, é claro, afetarão sua imagem, a justiça é uma coisa lenta, vai sangrando, maculando a imagem.

Na reforma administrativa que o prefeito Bellini pode fazer na virada do ano, o PSDB perde ou ganha espaço no governo municipal? – Caroline Stinghen, jornalista.

Deodato – Se você perguntar para todos os presidentes de partido, todos dirão que querem mais espaço. Este foi o espaço que o prefeito nos deu, acho que merecíamos mais. Ele teve de fazer várias negociações com o PMDB, e isso diminuiu o espaço de todos os partidos na aliança. Na realidade, ele ainda não discutiu com os partidos a reforma política, e nós estamos dispostos a ajudar o Jandir e a cidade.

Você concorda com a opinião do prefeito Jandir Bellini (PP) que o governo deveria ter somente uma candidatura a deputado estadual e federal e o PSDB abriria mão de suas candidaturas pela preservação do grupo de governo? – Eduardo Assis, colunista.

Deodato – Eu acho que é importante o governo ter um candidato único, e eu acho que é a vez do PSDB. Quando fizemos os acordos na campanha passada, o PP indicou o prefeito e o DEM indicou o vice, então, agora é nossa vez. Nós temos pré-candidato a deputado federal e estadual, e isto não tem volta. Eu e o Provesi nascemos em Itajaí, temos uma história na cidade, nossas raízes são aqui, e a mudança é necessária. Não podemos trocar A por B e B por A a vida inteira. Temos que trocar todo mundo porque a região está precisando, e é isso que o povo quer: renovação e gente que tenha raízes na cidade.

  •  

Deixe uma Resposta