• Postado por Tiago

EP---Raimundo-Colombo---Foto-William-De-Lucca

Colombo nega conversa oficial com PP

O senador Raimundo Colombo (DEM) ainda acredita na manutenção da tríplice aliança (PMDB, DEM e PSDB) e, mesmo estando bem na frente dos outros adversários nas pesquisas eleitorais, não se diz favorito pra ser o cabeça da chapa. ?A política é muito dinâmica. Hoje você está em primeiro, e amanhã pode não estar mais. Mesmo assim, luto para fortalecer minha candidatura?, disse ontem, em entrevista ao DIARINHO.

A reunião formal entre os cabeças do Democratas da Santa & Bela, na noite da última terça-feira, acabou virando um jantar de bate-papo. Tudo isso porque o vice-governador Leonel Pavan (PSDB) entregou um documento na tarde de terça-feira, na assembleia legislativa, pedindo pra que os deputados deem um ?sim? para que o Tribunal de Justiça (TJ) o processe e julgue. ?O DEM já tinha decidido que iria votar pela continuidade do processo, mas a decisão do Pavan nos deixou aliviados. Qualquer mudança poderia causar um mal-estar?, disse Colombo, que também é o presidente estadual do partido.

Ele afirma que a decisão do tucano é positiva pra todo mundo, e é revestida de uma série de simbologias, mostrando que Pavan é corajoso e que quer se defender das acusações feitas contra ele.

Corrida eleitoral

Se a ação do tucano foi boa, as denúncias contra ele foram ruins pra todo mundo. Pelo menos é o que pensa Colombo. ?Todo este problema não fortaleceu ninguém, não foi bom pra ninguém, atrapalha todo o processo de discussão dentro da tríplice?, lascou.

Colombo ainda não assume nenhum favoritismo, mesmo aparecendo nas frente nas pesquisas, e diz que tudo será decidido no tempo certo. ?Desejo ser candidato, mas isto não é uma questão de vida ou morte. Quero conversar com as pessoas, olhar nos olhos delas e saber quem quer realmente construir um projeto para Santa Catarina?, completa.

E os Democratas andam conversando bastante. Na última semana, o prefeito de Blumenau, João Paulo Kleinübing (DEM), se reuniu com a deputada federal e pré-candidata ao governo Angela Amin (PP), e os bagrões conversaram sobre uma possível aliança entre os dois partidos. ?Acho normal este tipo de conversa, nesta época todo mundo conversa com todo mundo, faz parte da dinâmica do processo democrático. Eu trabalho pela manutenção da poli-aliança, mas não é uma coisa fácil, então todo o processo de coligações ainda está em discussão?, disse.

O senador garante que ainda não houve nenhuma conversa oficial entre PP e DEM, e que ele ainda não bateu papo com nenhuma liderança pepista, mas lembra que os dois partidos têm uma velha história de alianças no estado, e que o relacionamento é muito amistoso.

Senado nunca mais

Colombo voltou a expressar seu descontentamento com os trabalhos no senado. Para ele, o executivo deixa o político mais próximo da realidade. Se não for candidato a governador, Colombo diz que termina seu mandato como senador e volta pra casa. ?Não teria sentido eu sair do senado para ser vice, mesmo porque o partido tem jovens lideranças se destacando e que precisam de espaço. Agora, não serei mais candidato ao senado, nunca foi algo que me empolgou?, revela Colombo, dizendo ainda que o trabalho no legislativo é abstrato.

  •  

Deixe uma Resposta