• Postado por Tiago

INTERNA_abreo_tainha_-rubens-flores-arquivo-28abr09

Pescadores tão confiantes que a safra da tainha vai ser boa

A sexta-feira começa com festa e com grande expectativa nos ranchos de pescadores nas mais de 35 colônias do litoral da Santa & Bela. A partir de hoje, tá liberada a busca pela vedete da pesca artesanal. A tainha representa o maior faturamento das famílias que ainda sobrevivem do mar no estado. O período da captura termina em 15 de julho.

A Federação dos Pescadores de Santa Catarina (Fepesc) diz que a expectativa é de que mil toneladas da cabeçuda sejam retiradas do litoral catarinense. No ano passado, a pesca foi uma das piores dos últimos tempos. Menos de 800 toneladas do peixe foram capturadas.

Ivo da Silva, presidente da Fepesc, diz que as informações que chegam do sul do país, principalmente da boca da Lagoa dos Patos, no Rio Grande do Sul, criadouro das tainhas, dão conta de que o peixe não deve faltar. ?As notícias dos mais de 60 pontos de passagem das tainhas indicam que teremos uma boa safra?, aguarda.

Em 2007, foi registrada a maior safra de tainhas no litoral da Santa & Bela. Foram retiradas do mar 2,5 mil toneladas de peixe. Naquele ano, 54 mil tainhas foram capturadas num único lanço na praia da Pinheira, em Palhoça.

Proteção

A instrução normativa do Ibama, que trata das normas e critérios, e dos padrões pra captura de tainha e exercício da pesca em áreas determinadas, traz avanços pra preservação da espécie. Uma das medidas é a alteração da data de início da temporada de caça às vedetes. Antes, a pesca começava dia 1º e agora foi pro dia 15. Fora isso, também houve preocupação em reduzir o número de licenças pra frota industrial que usa rede de cerco.

Outra alteração esperada é a confirmação, por parte do Ibama, da delimitação de 800 metros pros pescadores que usam malha pra pescar. A instrução indica uma milha, o que pode dificultar a pesca com malha e também a fiscalização deve observar a invasão da área artesanal.

Surfistas

Durante este período de pesca da tainha, impera um acordo meio que imposto pelos pescadores. Surfistas não podem quebrar as ondas pra evitar que as bichas escapem. A proibição do surfe já registrou conflitos entre surfistas e pescadores, que alegam a falta duma instrução normativa do Ibama pra que eles não possam entrar no mar. Em Floripa, as praias liberadas pro surfe são as do leste da ilha. Praia Mole, Joaquina e nas proximidades do camping da Barra da Lagoa.

  •  

Deixe uma Resposta