• Postado por Tiago

CAPA-BASE---g---familias-retiradas-em-BC---pedra-2

Explosão do pedregulho precoupa turma do Cuida

Quase meio ano depois da descoberta de uma pedrona de mais de 70 toneladas que ameaça rolar sobre as baiucas do loteamento Jardim Denise, no bairro Barranco, em Balneário Camboriú, começam os trampos pra retirada do calhau. Ontem, peões da prefa começaram a fazer uma valeta que vai evitar que a terra deslize. A explosão da pedra medonha tá marcada pra esta semana, mas ainda tem barnabé com medo que o estouro faça o morro vir abaixo.

Até o fim da semana o calhau será retirado do alto dos 60 metros do morro. Explosivos deverão quebrar a pedrona. A decisão de explodir o troço partiu de um engenheiro especialista em mineração, que trampa nas pedreiras de Brusque e analisou o local nos últimos dois meses. Pela previsão do integrante da defesa civil, Nilson Probst, a explosão deverá rolar entre quarta e quinta-feira.

Enquanto o cabeça da defesa civil segue o recomendado pelo engenheiro, o diretor do departamento de contenção da ocupação irregular e degradação ambiental (Cuida), Atílio Catafesta, fica com um pé atrás. Tá com medo que a explosão abale a estrutura das casas vizinhas ou que traga abaixo a montoeira de terra que está embaixo da pedra ?Eu tenho medo de explosão. Claro que não vai ser em grande proporção, mas o risco de deslizamento sempre existe?, disse. Atílio quer fechar a rua e tirar o maior número possível de moradores da área de risco no dia em que for realizada a detonação da pedra.

Por outro lado, Nilson Probst garante ao colega que não há com o que se preocupar. Explica que as explosões serão fraquinhas e só farão cosquinha no calhau. O objetivo é fazer com que a pedra fique em caquinhos, mas que não abale a estrutura do morro. ?A consequência é que não vai mais ter a possibilidade dessa pedra rolar em cima das casas, ou seja, a consequência é positiva?, acredita.

Valeta pra drenagem

Antes de instalar os explosivos, os funcionários da prefa tão fazendo a limpeza da pedrona e analisaram dinovo a situação no alto do morro do loteamento. Tá sendo montada uma valeta pra escoar a água da chuva que fica armazenada no meio do matagal. A estrutura vai drenar toda a água e impedir que a terra que sustenta o calhau deslize mais ainda e cause uma tragédia. ?Se nós tirarmos a água de lugar, vamos ter que fazer um tanque de captação pra evitar a erosão?, explica o diretor do Cuida. O serviço começou ontem e deve terminar quinta-feira.

Apesar das medidas, não foi determinado ainda o valor que será pago à empresa Explotec, contratada pra fazer a detonação. Também será definida ainda esta semana a necessidade de se retirar mais famílias das áreas consideradas de risco no loteamento.

Relembre

A gigantesca pedra foi descoberta há cerca de dois meses pelos técnicos da prefa e um geólogo e um engenheiro foram contratados pra fazer a análise do local. Como havia o risco de desabar a qualquer momento, no dia 28 de maio 10 famílias foram retiradas da área de invasão e abrigadas num hotel. No fim do mês passado, o povão de lá abriu o berreiro porque suas baiucas tavam sendo invadidas e detonadas por vândalos.

No início de junho, o geólogo Arsênio Moratori, e seu filho, o engenheiro Arsênio Moratori Júnior, entregaram um relatório aos abobrões da defesa civil onde recomendam uma retirada urgente de mais cinco famílias da área de risco. Apesar da recomendação, mais ninguém foi afastado do local.

  •  

Deixe uma Resposta