• Postado por Tiago

INTERNA_12_base-direita_-apreensao-de-produtos-piratas-no-camelo-balneário-camboriú_arquivo

Atraque dos homi nos camelôs é coisa rara

O comerciante A.C., 35 anos, que tem uma loja de CDs e DVDs originais, tá dicara com o ôba-ôba da pirataria em Balneário Camboriú. Ele diz que já tá careca de ver a venda dos disquinhos rolando solta no camelódromo que fica em frente à igreja católica de Santa Inês, mas as otoridades não mexem uma palha pra acabar com a farra. O leitor afirma que já procurou a polícia Civil pra dedurar a sacanagem e que não viu resultado nenhum. ?Eles até anotaram alguma coisa e até agora não vi nenhuma movimentação?, lasca.

O comerciante conta que, volta-e-meia, vê policiais militares fazendo rondas pelo camelódromo. Mas os fardados também não parecem se dar conta da pirataria. ?Os caras botam caixas e caixas de CDs e DVDs piratas em cima do balcão e nenhuma autoridade faz nada?, reclama.

A bronca do comerciante é porque, além de ser crime, a venda dos discos fajutos lhe traz um baita prejuízo. Pra poder comercializar a mercadoria como manda a lei, ele gasta uma grana alta com impostos e dá nota fiscal pros seus clientes. Isso, ressalta, não acontece com os produtos piratas. ?Por R$ 5 a pessoa compra um DVD. Isso é sacanagem?, carca.

Polícia garante que fiscaliza

O delegado Alonso Torres, que é responsável pela depê da Maravilha do Atlântico, garante que a polícia tem dado bizolhadas pelo camelódromo. ?Recentemente fizemos uma operação grande, com a receita Federal, em que foram carregadas duas carretas com produtos ilegais?, lembra.

Ele diz que as pessoas devem continuar denunciando. ?As denúncias são verificadas. Temos vários inquéritos instaurados e pessoas presas em flagrante por pirataria?, diz.

Onde denunciar a pirataria

Quem quiser dedurar a pirataria em Balneário Camboriú pode procurar, além da delegacia da polícia Civil, a central de Investigações dos tiras, na rodovia Osvaldo Reis. Como se trata de crime de falsificação, as denúncias também podem ser feitas pra polícia Federal ou pra delegacia da receita Federal, em Itajaí.

  •  

Deixe uma Resposta