• Postado por Tiago

O comerciante itajaiense Paulo Roberto, 42 anos, tá indignado com essa história de dinheiro falso circulando pelaí. Por três vezes foi vítima da falsificação e pede desesperadamente pras otoridades que algo seja feito.

Paulo tem uma padaria no bairro São Vicente. Nas primeiras duas vezes em que caiu na armadilha, recebeu duas notas de 50 pilas. Esta semana, foi enganado novamente. O valor foi mais baixo dessa vez: uma nota falsa de 10 reais.

Paulo contou ao DIARINHO que nas três vezes em que recebeu as cédulas só foi notar que não eram verdadeiras quando a pessoa que as repassou já tinha dado no pé.

Além de ser enganado, Paulo ainda ficou no preju, pois, por ser honesto, não repassou o dinheiro de araque pra frente e teve que entregar o dindim pro Banco do Brasil. “Eu perdi o valor das mercadorias”, lamenta. Segundo ele, a maioria das pessoas que recebe as notas as passa pra frente, o que é pior ainda, já que a safadeza na sociedade continua como se fosse uma corrente.

Alerta

Paulo resolveu abrir o bico após ler a matéria publicada na edição do DIARINHO de ontem, quinta-feira. Na reportagem, um trio do Paraná foi preso com várias notas falsas de 100 reais. “Deve ter um derramamento de nota falsa”, acredita o comerciante.

Paulo faz um alerta aos colegas comerciantes da região para ficarem atentos aos espertinhos. Também dá uma chincha na puliçada, que deveria combater o crime, inclusive o de falsificação de dinheiro.

  •  

Deixe uma Resposta