• Postado por Tiago

Gilberto Prim, 29 anos, não acreditou quando foi expulso a empurrões da depê de Navega. O comerciante tinha ido registrar um boletim de ocorrência contra os vendedores ambulantes, que ficam próximo ao aeroporto. O comissário, de nome Júlio, teria informado que o serviço só poderia ser feito após as 14h, e enquanto tava no telefone, conta Gilberto, teria sido empurrado pra fora da depê, na maior grosseria.

Faz tempo que Gilberto tá fulo com os ambulantes. Diz que já denunciou à prefa, mas não aconteceu nada. Ele diz que no fim de semana, quando não tem fiscalização, os vendedores fazem a festa.

No sábado, ele foi até a PM de Navega e lá recebeu o telefone da fiscalização estadual do comércio. Como ninguém atendia, foi aconselhado pelos milicos a registrar uma queixa na depê, já que a fiscalização não cumpria o seu papel.

Quando Gilberto chegou na delegacia, conta que uns milicos tavam no local e que o comissário já tava irritado atendendo uma ocorrência. O comerciante ficou na sala de espera por 10 minutos, depois que a PM saiu, mas ninguém apareceu para atendê-lo. Gilberto levantou e disse para Júlio que queria registrar um BO. O comissário então informou que só às 14h, porque o sistema tava fora do ar. Gilberto insistiu, dizendo que precisava fazer a queixa, e então pegou o telefone e disse à Júlio que tava ligando pra fiscalização estadual.

Enquanto ligava, o comerciante conta que o policial saiu da sala e começou a empurrá-lo pra fora. Ele garante que só não apanhou pra valer porque um milico viu a barbaridade. Gilberto diz que não sabe qual o motivo pro comissário ter agido deste jeito. “É um absurdo, a gente vai na depê pra ser defendido e não agredido”, berra Gilberto. Ele fez um registro da bronca na PM e diz que vai processsar o comissário.

Só com denúncia oficial

Ontem, o comissário Júlio tava de folga. A delegada de Navega, Flávia Rigoni Gonçalves, contou que não tava sabendo da treta. A dotôra pede para o comerciante procurar a depê e registrar um boletim sobre o caso. A delegada só irá investigar se houver uma denúncia formal.

  •  

Uma Resposta to “Comerciante diz que foi agredido e expulso da depê dengo-dengo”

  1. ADRIANO Diz:

    Só não entendi uma coisa, se ele foi agredido quando foi registrar um Boletim de Ocorrencia, como ele vai registrar outro “Boletim de Ocorrencia” pela agressão??

Deixe uma Resposta