• Postado por Tiago

A gerente de loja Juliana Fernandes, 29 anos, tá fula da vida. Ela trampa no centro de Itajaí e na quarta-feira levou uma multa no lombo por conta da suposta irresponsa de um guardinha da zona azul. Ela conta que chegou a comprar o cartão de estacionamento, mas o monitor enfiou o bilhetinho na caranga errada. “Quando eu fui tirar satisfação, ele ainda foi debochado”, reclama a leitora.

Juliana diz que chegou no trampo pela manhã e estacionou em uma das vagas na lateral da igrejinha da Imaculada Conceição, no centrão peixeiro. A gerente comprou o cartão do estacionamento rotativo com um guardinha da zona azul, que ficou de colocar o bilhete no parabrisa do seu possante.

Pouco tempo depois de ter comprado o cartão, Juliana viu da loja onde trabalha que a sua caranga tava recebendo o canetaço de um agente de trânsito. A gerente saiu correndo pra ver o que tava rolando e só de perto percebeu que o bilhetinho não havia sido colocado pelo barnabé. “Fui tirar satisfação com ele e recebi a resposta de que ele se enganou de carro. Se querem colocar a zona azul na cidade, que pelo menos tenha qualidade né!?”, bufa Juliana, completando que não teve jeito de tirar a tal multa.

Não é função do monitor

José Alvercino Ferreira, chefão da Codetran, disse que a função dos guardinhas da zona azul é vender os cartões e não colocá-los nos carros. Se algum deles fizer isso, garante o bagrão, é por pura camaradagem. “O correto é o motorista comprar, preencher e colocar no seu veículo. Assim, evita problemas”, orienta Zé Alvercino.

  •  

Deixe uma Resposta