• Postado por Tiago

INTERNA_16_abre-esquerda_lata-de-atum-errada_leitor-(1)

Era pra ser atum sólido, mais caro. Veio atum ralado

Você consegue imaginar a indignação de um consumidor que vai até o mercado, compra um produto e quando chega em casa dá de cara com outro, totalmente diferente? O leitor Rubens Wehner sabe muito bem o que é isso. No sábado, passou por uma situação destas. ?Paguei por atum sólido, que era bem mais caro, e veio o ralado?, reclamou.

Rubens foi ao supermercado Compre Forte, na rua Silva, centro de Itajaí, fazer umas comprinhas. Numa prateleira, escolheu atum sólido da marca Coqueiro. Quando chegou e foi abrir a lata para saborar o peixe, teve uma big surpresa. O conteúdo não era o que ele desejava. Era atum ralado, totalmente diferente do sólido. O consumidor pagou por uma coisa e levou outra, que custa menos.

Rubens entende que o Compre Forte não tem nada a ver com a burrada da fabricante Coqueiro. Mas diz que, como consumidor, vai exigir seus direitos. ?Temos que cobrar nossos direitos. Que o meu caso fique como alerta para a população?, discursou.

Trocam na hora

Aline Wiese, coordenadora de marketing do Grupo Sandagna, de Joinville, que comercializa os produtos da marca Coqueiro, disse que a troca é feita na mesma hora em que o consumidor faz o pedido. Ela não encontrou nenhum reclamo em nome de Rubens. ?A gente tem um departamento exclusivo só para isso?, informou.

A bagrona da Sandagna deixou claro que outro consumidor que passar por esse problema, que ela afirma ser normal, pode entrar em contato com a empresa, pelo número 0800-6420001. Também pode procurar o representante da venda, que nesse caso é o supermercado.

Supermercado tem obrigação de trocar a lata

Rodrigo Bucussi, advogado da Procuradoria do Consumidor de Itajaí (Procon), diz que pela lei a pessoa lesada tem o direito de trocar as latas, mesmo que ela já esteja aberta. A troca pode ser feita no supermercado, já que foi de lá que o produto saiu. Depois, o comércio também tem o direito de cobrar da indústria o que foi mandado errado.

Bucussi acredita que, como se trata de um valor pequeno, o consumidor não terá problemas em fazer a troca amigavelmente. Mas, se o Compre Forte se negar, Rubens pode procurar a Procon, que notifica o mercado.

  •  

Deixe uma Resposta