• Postado por Tiago

O policial militar Evaldir Ribeiro Gosch, de Balneário Camboriú, aprendeu que nem tudo o que é barato é vantajoso. Atraído pelo preço baixo, comprou um passeio pra Bahia, acabou cancelando a viagem e ficou com a conta pra pagar, mesmo sem usufruir do serviço.

Gosch conta que em maio os zóinhos brilharam com a promoção das passagens de ida e volta pra Salvador, no valor total de R$ 500. O negócio acabou sendo fechado com a Submarino Viagens, que vende os serviços pela internet. “Eu paguei pelo cartão de crédito, só que pouco depois, fazendo contas, percebi que não poderia pagar em uma parcela, como foi negociado. Liguei pra empresa e pedi pra cancelar a compra e eles me informaram que estava tudo ok”, relata o policial.

Nem um mês se passou e a fatura do cartão de crédito chegou na casa de Gosch, com a cobrança das passagens, que nunca foram entregues ao cliente. “Eu estou desde junho tentando provar que o cancelamento foi confirmado pela empresa e até agora não tive sucesso. Pedi a gravação telefônica da conversa que tive com a atendente e quando isso chegar vou levar tudo à Procon pra ver se de uma vez por todas consigo resolver”, avisa o policial.

O DIARINHO ligou pra Submarino Viagens pra saber do caso do PM e a atendente pediu que fosse enviado um e-mail solicitando informações. A dica foi seguida, mas até o fechamento da edição, a resposta não havia chegado.

  •  

Deixe uma Resposta