• Postado por Tiago

Demorou, mas a Fausta finalmente trocou a tranqueira e chamou um sabichão pra dar uns toques

dese-dona-fausta-troca-de-pc 

Olá, cambada plugada deste litoral abençoado, como tão de saúde? Eu tô que nem cabrita nova, toda empolgada com o maquinário supimpa que encomendei esta semana pra navegar com mais folga na internet. E não era pra menos: a carroça que eu tinha lá em casa já fez bodas e só pegava no tranco. Parecia aquelas tevês de antigamente. E quando chovia, então? Era um deus-nos-acuda!

Mas, agora que saiu uma verba, resolvi que tinha que dar um upgreidi na minha vida de internauta. E sem esquecer dos netos e sobrinhos, que gosto de receber pra tomar aquele café gostoso no sábado da tarde, e adoram fazer do meu computador um videogame caro pra cacete. Por causa da antiguidade do eletrodoméstico, os CDs dos meninos não rodavam nem dando surra de toalha molhada! E até o meu véio andava reclamando que não podia baixar aqueles programas batutas da tevê gringa.

Decidida a trocar de aparelho, depois de sete anos de altos e baixos (será que foi a crise dos sete anos?), fui me aconselhar com um técnico em informática que conheci aqui mesmo no DIARINHO. O Carlos Peres é lá de Sampa e já trampou na maioria das lojas de informática da city. O menino tem 19 anos de experiência no lombo, antes mesmo da internet. A internet só deu o ar da graça em 1995.

Programa chinfrim

Pois bem, a primeira dúvida que tirei com o Carlos era se valia a pena comprar essas promoções que rolam nos cadernos de ofertas dos grandes magazines, com aqueles computadores estalando de novos, com aquela tela plana dos sonhos, que pode ser paga em suaves prestações pro resto da vida. Carlos disse que é bom ter um pé atrás com estas promoções.

?Para oferecer um preço mais barato, as empresas também economizam no equipamento. As peças, em geral, têm menos qualidade do que se você for comprar em separado. E se precisar da assistência técnica, às vezes demora um mês pra chegar uma peça porque só podemos usar peça de fábrica, que não dá conta de tanto pedido?, revela.

Carlos também alerta para o sistema Windows que já vem nestas máquinas de lojas de departamentos. ?Não é o mesmo Windows que se vende nas lojas, é uma versão mais barata chamada start edition, com menor capacidade. O resultado disso é que se você for abrir mais de três janelas no seu computador, ele trava?, conta.

O técnico também aconselhou a fazer a máquina direcionada para as nossas necessidades. Ou seja, se for pra usar apenas para digitar texto de escola ou navegar na internet, não precisa ter uma placa de vídeo poderosa. Aí, até dá pra investir numa tela plana de 17 polegadas, que custa uma base de R$ 500. Já que o público de casa também gosta de baixar filmes e jogar videogame, daí não tem jeito: vai ter que investir numa boa placa-mãe e um bom processador. Mas se o monitor ainda dá pro gasto, que nem o meu, melhor esperar o carnê do CPU acabar.

Então o que eu fiz? Montei uma configuração junto com meus colegas da redação e fiz o orçamento em três lugares: na Open Lab, no bairro São João, na Bit Mix, no centro, e num saite de informática chamado Atera. Só não fiz em mais locais porque eles foram ficando cada vez mais raros por causa da concorrência com os produtos do Paraguai e com as lojas de eletrodomésticos.

Open Lab

open-lab

Supimpa

Dos três orçamentos, Carlos e outro sabichão da redação disseram que a Open Lab fez a melhor proposta. Tudo por causa da placa-mãe Essential Series da Intel. ?Esta é a melhor marca e está com um preço compatível com as demais?, disse o técnico. ?Eu também prefiro a composição da Open Lab, além do preço mais em conta?, disse Felipe, o fotógrafo.

A proposta da Open Lab tem processador Intel Core Duo E5300 da Intel (três anos de garantia), memória de 2GB DDR2 da Kingston (cinco anos); HD 320 GB 7200 RPM da Sata (dois anos), gravador de CD e DVD da Samsung (um ano), placa de vídeo X1550 ATI Radeon (um ano); placa de som 16 bits da Intel (três anos), placa de rede da Intel 10/100 MPB (três meses), gabinete de três baias (três meses), teclado Microsoft (três anos), webcam Microsoft 1.0 (três anos), fone de ouvido Clone (três meses) e caixa de som básica (três meses). Total: R$ 1.550. Isso sem o monitor.

Se for pra comprar a tela, a proprietária Rose diz que agora só tem vindo de 17 polegadas pra cima e no formato widescreen, que é aquele formato de cinema. A montagem do aparelho é por conta da casa e a entrega rola em três dias úteis. Para pagar, pode ser em até seis vezes sem juros no cartão de crédito, mas se o limite não for lá essas coisas, também dá pra pagar com boleto bancário. E sem contar que tem assistência técnica garantida. A Open Lab faz 10 anos este mês.

Bit Mix

_MG_1152

Ficou devendo

A Bit Mix tá uns cinco anos no mercado e praticamente domina a cidade peixeira. Ela nasceu do racha que rolou na Bit Life, que também dominou o mercado até o início dos anos 2000, quando um dos sócios criou a Bit Mix. A proposta que os rapazi de lá mandaram pra Fausta não era das piores, mas a conta ficou mais salgada, principalmente por causa do preço da montagem: R$ 80. Além do mais, a placa-mãe Gigabyte G31 é inferior à Intel.

Como processador, memória, gravadora de dvd e HD são os mesmos nos dois concorrentes, outro ponto pro desempate foi a garantia e as condições de pagamento. A Bit Mix oferece o preço total de R$ 1.629 em duas vezes sem juros ou seis no cartão de crédito Visa e 12 no Master Card, mas aí tem um jurinho. A garantia, no geral, é de um ano, e o kit com a caixa de som, teclado, mouse, e mais a webcam é de apenas três meses. Na concorrência, tem peça com garantia de até cinco anos!

Na Bit Mix, o Windows já vem instaladinho e também rola aquela assistência técnica batuta. A entrega do aparelho, igualmente, é de três dias úteis, faça sol ou caia trovoada com corisco! E o atendimento do Tito foi jóia ? no mesmo dia que fiz a solicitação, ele já mandou a proposta. Por isso, quem é fã da empresa e pretende trocar de computador, o conselho é negociar, que nem aqueles indianos nos mercados do oriente da novela das oito!

Atera

ishot-12

Meia boca

A www.atera.com.br é um saite de componentes de informática usado por muito técnico que não quer pagar mais caro nas lojas. Lá, é possível montar o computador que nem se faz um prato no quilão: com tudo aquilo que você gosta. A configuração foi praticamente a mesma, com exceção da placa de vídeo ser da marca Zogis e o teclado da Clone. No total, a compra saiu por R$ 1.150, ou seja, um negoção, né? Nem tanto.

Mas, como tudo que se adquire pela internet, tem alguns problemas. O primeiro é o prazo de entrega. A empresa tem três modalidades de entrega ? pelo correio (Sedex), Expressa (por caminhão) e PAC. Por Sedex, custa mais R$ 85,70 e leva até nove dias pra entregar. Por caminhão, a entrega custa mais R$ 49,51 e pode levar até 13 dias! A encomenda PAC custa R$ 41,07 e leva até 12 dias.

?O problema é que pode ter problemas neste trajeto, e se tiver alguma coisa avariada, leva mais um tempo pra devolver para loja e mais um custo para mandar?, alertou Carlos. Outra coisa é que o material chega, mas quem vai montar? Então, são mais R$ 80 pra montar o bichinho, tá anotando os gastos?

Soma-se a isso os juros do cartão de crédito, pois o fornecedor só faz em duas vezes sem juros. Em seis vezes, por exemplo, e contando os custos de montagem e entrega, o mesmo computador já sai por R$ 1500. E a assistência técnica? E se der algum problema, já que a loja fica em Sampa…

  •  

Deixe uma Resposta