• Postado por Tiago

Preocupado com o meio ambiente, o fotógrafo E.S.F., 51 anos, reclama da empresa que recolhe o lixo em Balneário Camboriú, a Coneville. Há dois meses ele não consegue jogar fora algumas lâmpadas fluorescentes que tem em casa porque a empresa se recusa a recolher o material.

O fotógrafo diz que se preocupa com o meio ambiente e procura fazer de tudo pra evitar que materiais poluentes sejam jogados pelaí. Por isso, junta todas as suas lâmpadas fluorescentes que já tão velhas e gastas.

Como não quer guardar os trecos pela eternidade, procurou a empresa que faz a coleta de lixo no Balneário e deu com os burros n´água. Descobriu que a Coneville não faz o serviço de coleta de lâmpadas e outros materiais poluentes. “Eles cobram tarifa só pro lixo comum? Tá na hora de Balneário ser igual a Itajaí onde as pessoas ganham desconto de tarifa se fazem a seleção do lixo”, sugeriu.

Embora a sugestão seja boa, a empresa ainda não tem nenhum projeto pra pôr em prática o recolhimento dos lixos recicláveis e dos poluentes. Quem admite é Elizete Regina Dias de Souza, responsável da empresa pelo relacionamento com a clientela. Ela explica que a empresa não presta o serviço porque não tem equipamentos próprios pro recolhimento e para o destino das porqueiras. “Quando coletar esse material, tem que dar um destino certo a ele. Não se pode simplesmente deixar no aterro”, argumenta.

Pra evitar que os clientes fiquem chupando o dedo, Elizete conta que oferece aos solicitantes o telefone do pessoal que está autorizado pra prestar o serviço de recolhimento. São empresas particulares e públicas, que não são ligadas à Coneville, mas fazem o trampo de recolher os recicláveis e poluentes.

Por conta própria

Pra quem mora em Balneário Camboriú e não sabe onde jogar suas lâmpadas, pilhas e materiais que não podem ser jogados no lixo comum, pode levar a porcariada até a rua 700, no número 186. Lá, o empresário Fábio Alexandre Torres dos Santos, 34, montou por conta própria o que ele chama de ecoponto.

No local, onde ele mora e também funciona sua empresinha de lavação, ele recebe óleo de cozinha usado, baterias e pilhas e até contrata um pessoal especializado de Curitiba pra triturar as lâmpadas fluorescentes sem que elas espalhem o mercúrio que tem dentro e é altamente poluente.

  •  

Deixe uma Resposta