• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-SEIS-p---canhanduba-2-(1)

Peãozada tá pegando no pesado para concluir obra do depósito de bandido

A prometida penitenciária da Canhanduba tá finalmente saindo do papel. Depois de mais de um ano de atrasos, a construtora Espaço Aberto, que ganhou a licitação pra tocar o serviço, colocou a peãozada pra pegar no pesado. A previsão do engenheiro responsável é que o cadeião seja entregue até a metade do ano que vem. Agora, o perigo de paralisação vem dos vereadores de Itajaí, que ameaçam desfazer a doação do terreno ao governo do estado caso a central 190 da puliça Militar seja transferida pra Balneário Camboriú.

A construção tava tão emperrada, que o cadeião, que deverá abrigar 360 detentos, tava bem perto de virar lenda. Primeiro, uma verba de R$ 18 milhões que deveria ser repassada pela Caixa Econômica Federal ficou engavetada. O problema foram confusões na hora de licitar a empreitada. Os abobrões abriram duas concorrências diferentes, uma pra erguer as paredes e outra pras celas, mas o banco achou que o processo tava errado e resolveu fechar a mão.

O perrengue só foi resolvido no mês de setembro, mas mesmo assim as obras caminhavam a passos de tartaruga manca. Chegou a vez de fazer a terraplanagem, e então a culpa foi das chuvaradas, que atrasaram mais um pouco a construção.

Com os presídios da região pipocando de enjaulados, uma comissão de acompanhamento da empreitada foi formada, com membros de Itajaí, Balneário Camboriú, Cambu e, mais recentemente, Navegantes. O pessoal começou a bizolhar o trampo bem de perto e, pelo visto, a pressão deu resultado.
O engenheiro Sílvio Trewisnky, da Espaço Aberto, que é um dos responsáveis pela construção, disse que agora o serviço tá andando. ?Passamos a fazer a obra com mais gente. São 20, 40 funcionários cada vez, dependendo do trabalho?, afirmou.

No momento, a peãozada tá trabalhando na instalação de alicerces pras cercas e cimentando as celas, que já foram entregues. A previsão de Sílvio é que a serviceira dure, ao todo, oito meses. ?Devemos estar com tudo pronto pela metade do ano que vem?, avisou.

O mandachuva da comissão que acompanha a obra, Santiago Martin Navia, diz que tem sentido a diferença. ?Vamos lá a cada 15 dias, e na semana passada percebemos que a construção tinha evoluído bastante. Já tinham feito inclusive a demarcação do presídio. Mas não vi funcionários a mais por ali?, lascou.

O presídio, onde ficam os presos que ainda não foram julgados, é mais uma promessa do governo da Santa & Bela. O prédio tá pra ser construído no mesmo terreno da penitenciária, onde ficarão os enjaulados que já tenham passado por julgamento e estariam cumprindo pena.

Beicinho peixeiro

Quem pode melar, agora, a empreitada, é a câmara de Vereadores de Itajaí. Injuriados com a notícia de que a central 190 da PM vai sair de terras peixeiras e será transferida pra Maravilha do Atlântico, os edis protocolaram um projeto de lei que desfaz negócios com o governo do estado, entre eles a doação do terreno da Canhanduba. Mas Martin não teme que a proposta possa trazer algum prejuízo. ?Uma vez doado, acho que não pode tirar do Estado?, acredita.

Martin acha que a construção do cadeião vai além das picuinhas. ?Também somos contra a transferência do Copom pra Balneário, mas o vereador que sugeriu desfazer a doação foi infeliz. A questão da penitenciária é humanitária, tá muito além da segurança pública?, carcou.

  •  

Deixe uma Resposta