• Postado por Tiago

casa-destruida-acidente-caminhao-rua-benjamin-franklin-pereira-(2)

Esse foi o primeiro acidente com contêiner registrado na curva

A casa 626 da rua Benjamin Franklin Pereira, na Vila Operária, em Itajaí, não será mais a mesma. Na noite de quarta-feira, um caminhão contêiner desabou sobre a parte da frente da baia e por pouco não provocou uma tragédia. Ontem, a família Souza, que morava no local, teve que arregaçar as mangas, retirar os móveis que não foram destruídos e ainda agradecer a Deus, já que o único membro da família que tava na casa na hora do acidente não se machucou.

A Codetran foi chamada para atender o acidente por volta das 20h30. O agente de trânsito Rafael Roberto Santos contou que o Volvo, placa LXB 5375 (Itajaí), saiu do porto peixeiro e seguia em direção a Brusque. O motorista Vilson Roberto Tabalipa não tava chutado, mas na curva em frente à casa dos Souza, a carga de fios pendeu pro lado e o contêiner com 25 toneladas tombou em cima da casa.

O caminhão destruiu uma sala e um quarto. Sofá, cama, videogame, dvd e outros móveis ficaram detonados. No momento do acidente, o filho de 15 anos de Merli Tomio e Carlos Fernando de Souza estava em outro quarto e por sorte não foi atingido pelo brutus. O casal e uma filha pequena foram avisados do acidente e voltaram pra baia.

A Codetran registrou o boletim de ocorrência da derrubada e, segundo as primeiras informações, o motorista não tava em alta velocidade. O acidente teria rolado porque na curva a carga tombou dentro do contêiner e ele acabou virando. ?O estado de conservação do caminhão era bom. Não era um caminhão velho como alguns que a gente vê por aí?, explicou o agente de trânsito.

O pessoal da Codetran ficou na rua Benjamim Franklin Pereira até às 5h de ontem. Um caminhão guincho trabalhou durante 10 horas para tirar o contêiner de cima da baia e o colocar em outro caminhão. O dono do brutus, Lenir Vequi da Silva, foi o responsável pela operação. Esta foi a primeira vez que um brutus tombou naquela curva da rua.

Sem teto

O acidente deixou a família Souza sem teto. Ontem, Merli e o marido trabalhavam para tirar o que sobrou da casa. Por enquanto, eles tão dormindo na casa de mãe de Carlos, mas a ideia é alugar um local para morar, enquanto a casa não for reconstruída. Segundo Merli, o dono do caminhão garantiu que resolverá o perrengue, mas como a família ainda tá bastante assustada não sabe ao certo como isso vai funcionar.

  •  

Deixe uma Resposta