• Postado por Tiago

INTERNA-8-LATERAL---g---obras-no-cais-do-porto-de-itajai---foto-Felipe-VT-38

Draga Iguazú vai ficar na manutenção do calado

A empresa contratada no mês passado deveria ter retirado 300 mil metros cúbicos de areia do fundo do rio

Mais uma vez, o trabalho de dragagem no canal de acesso ao porto de Itajaí não chegou ao fim. O contrato com a empresa Bandeirantes Dragagem e Construção Ltda, que fica no Rio de Janeiro, já venceu e o trampo não chegou nem na metade. Dos 300 mil metros cúbicos de areia que deveriam ter sido retirados do fundo do canal externo, só 50 mil foram recolhidos, calcula a assessoria de imprensa do porto peixeiro.

A draga Copacabana parou de trabalhar no dia oito deste mês e desde então o serviço de dragagem também tá parado. Enquanto a administração do porto de Itajaí e do terminal de Navegantes decidem o que vão fazer pra terminar de vez o trampo, que permitirá novamente a atracação de navios de grande porte, a draga Iguazú vai trabalhar na manutenção do que já foi feito.

O contrato com a empresa Bandeirantes era por 20 dias e poderia ser renovado por mais 10, o que não aconteceu porque o porto não ficou satisfeito com o trampo realizado e nem com os equipamentos usados.

A Copacabana começou a operar na city peixeira na segunda quinzena de junho com o compromisso de trabalhar 24 horas por dia e entregar o canal de acesso com 12 metros de profundidade em 20 dias. Nem uma semana depois de chegar a Santa Catarina, a draga já pifou e deixou todo mundo na mão.

Ontem, a assessoria do porto não quis contar como andam as discussões pro fim da dragagem. As únicas informações são de que duas empresas estão previamente cotadas pra terminar o trampo e que a empresa Bandeirantes não faz parte da lista.

  •  

Deixe uma Resposta