• Postado por Tiago

O corpo da fisioterapeuta paraguaia Daisy Margarita Mercado Canete, 41 anos, que morreu depois de um acidente na BR-101, semana passada, foi levado ontem pra Univali, em Itajaí. Ainda em vida, ela tinha revelado aos amigos e à família a vontade de ter seu corpo doado à universidade quando passasse dessa pra uma melhor.

Na quinta-feira, dia 13, Daisy tava junto com o marido, o argentino Claudio Roberto Fernandez Molina, 48, a bordo de uma cabrita que acertou um carango, no quilômetro 137 da BR-101. Com a batida, a motoca voou longe e o casal caiu na chón.

Daisy arrebentou o pulmão no acidente, e acabou morrendo poucos minutos depois. Seu marido ficou todo quebrado e foi atendido ainda na estrada pelos socorristas da Autopista Litoral Sul. Ele foi levado ao hospital Santa Inês, onde continua internado e tá se recuperando.

O corpo de Daisy foi recolhido pelo Instituto Médico Legal (IML) de Balneário Camboriú, onde ficou até a tarde de ontem. Os peritos comentaram que foi a primeira vez que viram alguém declarar em vida a vontade de doar o corpo pra estudos, na Maravilha do Atlântico. Ela e o marido eram donos de um camping de naturismo na praia do Pinho.

  •  

Deixe uma Resposta