• Postado por Tiago

Cristiano tava pescando quando fisgou corpo de patrulherio

O corpo do policial rodoviário federal Luiz Carlos Rodrigues, 47, foi encontrado boiando domingo, por volta das 15h, perto do ferri bote no lado dengodengo. O corpo foi retirado do rio pelo soldado Cristiano André Hiller, 23 anos, lotado em Timbó, que tava aproveitando o domingão pra pescar. O milico teve a ajuda do pessoal do ferri-bote e da galera que se reuniu às margens do rio.

Luiz tava desaparecido desde a tarde de quarta-feira quando saiu para buscar uma bateira que tinha comprado. O corpo de Luiz Calos Rodrigues tá sendo velado no cemitério da Fazenda e o sepultamento será às 9 horas da manhã de hoje.

Cristiano tava pescando com a família e amigos quando avistou o corpo boiando no meio do rio. Ao ver o corpo, o piloto do ferri-bote, passou bem perto e deu forcinha pra ajudar a retirá-lo do rio. Cristiano jogou o anzol, fisgou o patrulheiro pela roupa e o trouxe para margem.

O povão que tava por aquelas bandas chamou os milicos, os bombeiros e os familiares do patrulheiro, que fizeram o reconhecimento ainda nas margens do rio. O corpo do patrulheiro foi recolhido pelo IML de Itajaí, não tinha nenhum sinal de violência e morreu por afogamento. O amigo da família do patrulheiro, José Mauro Stein, 62, foi uma das últimas pessoas a ver o policial com vida. Ele conta que ainda trocou algumas palavras com o PRF quando tava empurrando a bateira pro rio.

O desaparecimento

O patrulheiro desapareceu nas águas do Itajaí na tarde de quarta-feira, quando tava voltando pra casa, numa bateria cheirando a nova, que tinha acabado de comprar. O patrulheiro foi visto pela última vez, por volta das 16h, nadando em direção às margens do rio, perto do molhe, no lado dengo-dengo do rio.

A família só se deu conta do desaparecimento do patrulheiro por volta das 21h, quando um funcionário do estaleiro foi até a casa dele, para saber porque o cara não tinha retornado para buscar o carro. O pessoal começou as buscas, mas não encontrou o patrulheiro.

Na quinta-feira, um helicóptero da Marinha passou o dia sobrevoando a área e uma lancha da capitania dos portos também cobriu o local. A expectativa era de que ele fosse encontrado em alguma das praias da região, pra onde vai a maioria dos corpos que desaparece no rio. Luiz era casado e tinha dois filhos.

  •  

Deixe uma Resposta