• Postado por Tiago

A puliça civil de Porto Belo grampeou ontem o dimenor L.N., 17 anos, acusado de ter mandado pro além o defunto encontrado na manhã de terça-feira dentro de um reservatório de água da Casan, com marcas de 12 facadas. O moleque disse que assassinou o pobre por conta de uma dívida de drogas. Ele agiu com ajuda de um comparsa, que tá sendo procurado. O mini-traste confessou que foi ele quem telefonou pra PM avisando onde tava o corpo, porque tava com peso na consciência. Depois de ter sido ouvido, o malaquinho foi liberado.

O morto foi identificado como Ramon Gabriel Brito, 21 anos. Ele foi reconhecido pelo pai, que não teve o nome divulgado. Pelas informações levantadas pelos peritos, o sujeito tava há cerca de cinco dias dentro do reservatório. Como estava irreconhecível e sem documento de identificação, passou por análise do Instituto Médico Legal de Balneário Camboriú e permaneceu guardado na geladeira do IML.

Ontem de manhã, o pai de Ramon esteve na delegacia e conversou com os policiais. Ele contou que seu filhote tava sumido há uns dias. Desconfiado, deu um chego no instituto pra ver o corpo e reconheceu o rapaz. Abalado, o homem ainda não abriu o bico pros tiras. O gurizão foi enterrado ontem em Tijucas.

Reservatório será reativado

O reservatório onde foi encontrado o corpo estava desativado desde março deste ano, mas deverá ser reativado em dezembro. O gerente da Casan em Porto Belo, José Lucas Guerreiro, explica que a grande caixa de água é usada na temporada de verão pra incrementar o abastecimento do líquido precioso na cidade quando a city recebe uma porrada de turistas. “O reservatório fica no pé de uma cachoeira onde a gente faz a captação de água e o tratamento e joga no reservatório”, explica.

O gerente afirma que todo ano o reservatório é limpo antes de ser ativado, e depois que o corpo foi encontrado por lá, receberá um trato melhor. “O trabalho de desinfecção é feito todo ano e agora será feito mais do que nunca”, garante José Lucas.

  •  

Deixe uma Resposta