• Postado por Tiago

p-muvuca-no-cadeiao-005

Bandidagem tá saindo pelo ladrão no cadeião do Matadouro

A corregedoria de justiça de Itajaí tá avaliando se vai pedir a interdição do cadeião peixeiro. O pedincho tá dependendo do resultado do laudo que as secretarias de Saúde e de Obras ficaram de entregar ao juiz corregedor Carlos Roberto da Silva. O documento vai servir de base para o juiz formular o pedido de interdição. Atualmente o presídio abriga 674 presos, numa estrutura construída para 198 pessoas. As duas secretarias têm até segunda-feira pra entregar o documento.

O juiz pediu no dia 17 de setembro à secretaria de Segurança de Santa Catarina a transferência de 200 presos. O departamento de Administração Prisional (Deap) negou o pedincho, alegando falta de espaço nas outras unidades prisionais do estado. Se depender do Deap, as transferências só vão ocorrer se abrir novas vagas na Santa & Bela.

Como a tentativa de esvaziar o presídio esbarrou na falta de estrutura do Estado para receber presos peixeiros, o juiz corregedor botou sua equipe para trabalhar no processo de interdição do presídio.

O assessor do dotô, Pablo Inglez Sinhori, revela que um procedimento administrativo pedindo a interdição do presídio rola no fórum desde 2005, mas só em setembro desse ano teve um desfecho.

Com o parecer do Ministério Público concordando com a sugestão de interdição feita pelo administrador do cadeião, Maurílio Antônio da Silva, a corregedoria tá preparando um dossiê pra enviar ao Tribunal de Justiça.

Pablo explica que pelo código de normas da Corregedoria Geral de Justiça da Santa&Bela, só um canetaço dos desembargadores pode decidir pela interdição, quando o assunto é o sistema prisional do estado. ?Todas essas medidas estão sendo tomadas pelo juiz corregedor para evitar uma nova rebelião no presídio?, garante o assessor.

Apesar de todos os esforços pra resolver o problema do cadeião peixeiro, Pablo afirma que não tem prazo para o processo ser julgado, podendo levar anos para sair o parecer final.

  •  

Deixe uma Resposta