• Postado por Tiago

A força das águas do rio Itajaí-Açu deixou o comandante do navio Vitality, com bandeira do Chipre, se borrando todo ontem de madrugada. A correnteza, que aumentou 2 km/h em uma hora, acabou fazendo com que o gringo realizasse uma manobra brusca. Voou água pra tudo quanto é lado e um barquinho de pesca atracado ao lado do ferri-bote acabou batendo no cais, que cedeu.

O acidente rolou por volta das 4h, quando o navio deixava o porto de Itajaí pra ir pra Paranaguá. Alexandre Gonçalves da Rocha, diretor presidente da empresa Itajaí Práticos, contou que o navio não chegou a bater no barco pesqueiro e garantiu que o que ocasionou o acidente foi mesmo a grande movimentação do rio no momento da manobra. “Não houve feridos e o navio não sofreu avaria. Agora um inquérito vai investigar exatamente o que aconteceu”, falou Alexandre.

A Capitania dos Portos esperava, na tarde de ontem, a chegada do relatório da praticagem e também do comandante do navio pra tomar as providências investigativas sobre o acontecido.

O navio Vitality é da Ilha do Chipre, ao sul da Turquia, e tem 210 metros de comprimento. O grandalhão tava sendo comandado pelo gringo Ellewaa Mohamed Gaki Hussin.

Por causa da forte correnteza e ondas acima da média, o porto de Itajaí e o terminal de Navegantes só puderam receber navios com até 250 metros de comprimento, ontem. O responsável pela programação de navios do porto peixeiro, Luiz Antônio Martins, disse que algumas embarcações tiveram que desviar pra Paranaguá, mas retornam pra carga e descarga de mercadorias já a partir de hoje.

Ondas gigantes

O mar tava bem agitado no dia de ontem na região, com ondas que ultrapassavam os dois metros na praia da Atalaia. De acordo a Epagri, esse reboliço é resultado de um ciclone que se formou na costa da África e acabou atingindo o Brasil. “O mar só vai ficar mais tranquilo no fim de semana”, disse a meteorologista Francine Gomes.

Apesar de a Epagri afirmar que a saída de barcos de pesca é arriscada até o fim de semana, ontem alguns pescadores enfrentaram o mar. O rádio-operador Vilmar Erthal, da rádio costeira de Itajaí, falou que nenhuma operação deixou de ser feita pelos pescadores e não houve o registro de incidentes até a metade da tarde. “Nós estamos repassando a previsão do tempo e as condições do mar para que haja o cuidado”, relatou.

  •  

Deixe uma Resposta