• Postado por Tiago

“A Abrigu’s Imobiliária foi surpreendida na tarde de terça-feira por aproximadamente 15 fiscais, acompanhados de uma perua besta para carregamento de placas, “cavaletes” de anúncios de imóveis, para que clientes que estejam caminhando pela avenida saibam quais imóveis a imobiliária possui em oferta.

Gostaria de criticar a secretaria o prefeito e os vereadores que regulamentaram essa lei para retirada das placas, que nada interferem ao pedestre ou avanço nas calçadas, a não ser o benefício dos anunciantes da cidade ou município.

Pois ilustríssimos, a quem nós eleitores confiamos de entregar em vossas mãos por quatro anos nossa maravilhosa cidade, justamente nas horas em que nossa cidade ou município passa por dificuldades de enchentes e agora com essa crise quem divulga a cidade e município é o corretor de imóveis.

Queria reiterar também que as calçadas estão em muitos pontos de nossa cidade feitas de estacionamento. Isso, sim, interfere no que diz respeito ao incômodo do pedestre.

Portanto gostaria que dessem uma atenção, com mais carinho, em tudo que diz respeito ao bom andamento de nosso tão promissor município e não só se preocuparem no que diz respeito à fiscalização. Fiscalizar é preciso, mas ação e obras acredito que também seja necessário.

Em frente a um restaurante e nas imediações de um shopping da cidade tem um cidadão que se faz de dono de um estacionamento, que seria nossa avenida. No sábado à noite estive no baile dos corretores promovido pela Aprimit, que por sinal muito bem organizado como sempre – quero aqui parabenizar a diretoria da associação. Mas o que me traz aqui é justamente este cidadão que fica cobrando estacionamento da avenida Nereu Ramos, onde eu pessoalmente fiz uma pergunta que ele mesmo não soube me responder.

Pago seguro obrigatório, Ipva, licenciamento e seguro total do meu carro, popular mas está em dia com documentação. Ao sair do baile ele se colocou em frente ao meu carro encostado ao para-choques, me impedindo de sair sem que eu pagasse o trabalho dele. Autoridades competentes, isso sim é caso de fiscalização e retirada para que não fique importunando nosso turista e a nós mesmos, que alavancamos essa maravilhosa cidade.

Não sei qual orgão competente para essa questão, mas pediria, por gentileza, que agisse.”

Ass: Ademir Barbaro Tomazi,
corretor de móveis

(Transcrito ipsis litteris)

  •  

Deixe uma Resposta