• Postado por Tiago

A puliça civil de Itapema e Luís Alves tenta esclarecer a misteriosa morte do corretor de imóveis Maurício Basso, 41 anos. O cara tava desaparecido desde a noite de sexta-feira, e foi encontrado morto com cortes nos pulsos, no interior da capital da cachaça. A hipótese mais provável é a de suicídio, já que o coitado tinha dois cortes grandes nos pulsos.

Maurício vivia em Itapema e era bem conhecido na região. Na sexta à noite, ele participava de um churrasco com amigos no Sertão do Trombudo quando recebeu um telefonema e saiu. Como não voltou pra casa, no sábado de manhã a família do cara deu queixa na depê dizendo que ele tava desaparecido.

Durante todo o final de semana, ninguém conseguiu contato com Maurício. Até que, na madrugada de terça-feira, o carro dele, uma caminhonete chiquetosa Tucson, com placa de Itapema, foi encontrado abandonado no meio da estrada geral do Alto Serafim, no interiorzão de Luís Alves.

Bisbilhoteiros de plantão que passavam por ali avisaram à puliça. Os tiras descobriram que o possante era de uma pessoa desaparecida, e perceberam manchas de sangue no assento do motorista. O celular do cara e a grana que ele tinha na carteira, cerca de R$ 800, não tinham sido mexidos.

Desconfiados, os homis saíram na manhã de ontem à cata de Maurício, pelas redondezas. O corpo do coitado foi encontrado 200 metros longe da caminhonete, no meio do matagal. Os policiais perceberam que ele tinha cortes nos pulsos, mas não tinham certeza de que ele seria essa mesmo a causa da morte.

O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Itajaí e os peritos concluíram que o corretor morreu mesmo por conta do sangramento nos pulsos. Pelo estado do corpo, ele passou dessa pra uma melhor ainda na sexta-feira.

Bizolhadas

Apesar da aposta mais provável ser a de suicídio, a puliça tá investigando o caso. No início da tarde de ontem, antes de ter saído o laudo do IML, o delegado Arlindo Artner Junior, de Luís Alves, dizia que tavam sendo consideradas todas as hipóteses. “A princípio trabalhamos com suicídio, mas nada foi descartado ainda”, comentou.

Dotô Carlos Dirceu, delegado de Itapema, também tá bizolhando o caso. “Ainda não se sabe o que ele fez depois que saiu de Itapema, se parou em Balneário Camboriú ou Itajaí, se conversou com alguém, se foi sequestrado. Só não falamos em latrocínio porque o dinheiro e o celular dele tavam no carro”, comentou. A princípio, Maurício não tinha negócios nem relações em Luís Alves. Por que ele teria escolhido a terra da caninha pra morrer, ainda é um mistério.

  •  

Deixe uma Resposta