• Postado por Tiago

Uma tragédia marcou a madrugada de Tijucas. Um véinho que criava abelhas morreu ao capotar o seu carango na margem da SC-411. O veículo caiu de cabeça pra baixo dentro de uma valeta que tava com água. Augusto Lourenceti, 73 anos, desmaiou, ficou preso dentro do possante e morreu afogado. A família desconfia que ele tenha tido um piripaque no coração ou dormido no volante.

Passava das 5h quando a mulé do coitado saiu pela rua pra ver por que o maridão tava demorava pra voltar pra casa. Ele tinha saído às 21h de casa pra pegar mel das suas abelhas e não tinha voltado ainda. A mulher rodou um pouquinho pela SC e encontrou o Gol, placa LYT 1697 (Tijucas), de pentelhos pro ar, caído dentro de um rio da subestação da Celesc.

Ela ainda pediu ajuda de um dos quatro filhos e dos bombeiros, mas era tarde demais. Embora o rio fosse rasinho e a quantidade de água não chegasse à cintura de um adulto, Augusto tava com a cabeça dentro da água e já tava morto. Os vermelhinhos ainda tentaram fazer os primeiros socorros e reanimá-lo, mas ele já tava durinho, como se estivesse batido as botas há mais de oito horas. O corpo foi recolhido pelo instituto Médico Legal (IML) de Balneário Camboriú, onde ficou confirmada a morte por afCriador de abelhas capota carango e morre afogadoogamento. Augusto será enterrado em Tijucas.

A família tenta descobrir agora como o acidente rolou. Desconfiam que ele tenha passado mal, pois já tinha problemas cardíacos. Também cogita a possibilidade de que ele tenha dormido enquanto pilotava o carro e siperdido na estrada. Os meganhas, que estiveram no local, trampam com a ideia de ele ter perdido o controle do veículo por causa dos buracos na pista.

A polícia Rodoviária Estadual (PRE) de Gaspar, que é responsável pela área, sequer foi avisada do acidente. A polícia Civil de Tijucas soube do caso só ontem de manhã quando os familiares do trabalhador rural estiveram na delegacia pra registrar a ocorrência. Os homisdalei voltaram até a valeta pra fazer fotos e juntar com o laudo médico do IML.

  •  

Deixe uma Resposta