• Postado por Tiago

A vigilância epidemiológica de Santa Catarina tem mais um caso de morte por suspeita da gripe porca pra investigar no estado. No sábado, depois de ficar internada por quatro dias, Renata Thalia Bueno, de três anos, morreu. A menina reclamava de dores no corpo e no pulmão e apresentava tosse seca e febre, os principais sintomas da gripe suína. Além desta morte, a vigilância epidemiológica investiga outros 16 casos de morte por suspeita do vírus H1N1 no estado.

A mãe da criança, Tânia Aparecida Nascimento, contou que a filha chegou a ser medicada contra gripe no domingo, dia 26, mas como os sintomas persistiam, Renata precisou ser internada. A menina ficou de quarta-feira até sábado no hospital Azambuja, em Brusque, cidade onde morava.

O diretor da vigilância epidemiológica estadual, Luís Antonio Silva, contou que o laudo médico da menina contém a suspeita da gripe porca, mas por enquanto não há nada certo. “Nós colhemos a secreção e vamos fazer exames pra identificar se foi ou não contaminação pelo vírus H1N1”, disse.

16 mortes

Luís falou que até sexta-feira da semana passada eram ao todo 16 casos de suspeita de morte por gripe suína em Santa Catarina. Hoje, o diretor fará um novo levantamento pra ver se o caso da menina de três anos foi o único registrado durante o fim de semana.

Casos monitorados, com suspeita de contaminação, até sexta-feira eram 380 em todo o estado. No Itajaí, até sexta-feira passada, 42 peixeiros podem estar com a gripe porca. Até agora, foram confirmados apenas dois casos na cidade e ninguém morreu por causa da doença.

  •  

Deixe uma Resposta