• Postado por Tiago

Desconhecido fez furo na raiz da árvore e injetou um misterioso líquido preto

Um crime ambiental foi denunciado ao DIARINHO pela comerciante Celi do Amaral, 58 anos. Ela procurou o jornal pra reclamar de furos nas raízes de duas amendoeiras que ficam entre as ruas 500 e 600 da Quarta avenida, em Balneário Camboriú. Nos buracos foram colocados líquidos pretos que, afirma, tão matando as árvores aos poucos. Ontem, Dia da Árvore, a equipe do DIARINHO comprovou a malvadeza.

Dona Celi é moradora da rua 500 e passa na avenida todos os dias. Na semana passada, olhou pras raízes das duas amendoeiras e ficou de cara com o que viu. Foram feitos buracos nas bases das árvores e colocados líquidos pretos, como se fosse óleo. ?Senti cheiro de álcool queimado e notei os furos. Se a árvore estiver atrapalhando, acho que eles podem tirar com raiz e tudo, não precisa matar?, lascou.

Preocupada, a comerciante denunciou o caso aos fiscais da secretaria do Meio Ambiente da prefa de Balneário Camboriú. O secretário, André Ritzmann, afirma que já tá sabendo do caso e até mandou os fiscais do órgão analisarem o produto colocado nas duas árvores. ?Fomos lá ver, mas não sabemos o que é. Às vezes a pessoa pensa que é algo que está matando a árvore, mas não é?, palpita.

Ritzmann aguarda até que seus fiscais emitam o laudo sobre o caso pra saber se o líquido é prejudicial e se há formas de salvar a árvore. Ainda conta que pode ser carcada uma multa no sujeito que praticar o crime ambiental, mas afirma que é difícil dar um flagrante nos judiadores do meio ambiente. ?Difícil é pegar na hora que vamos lá pra fiscalizar?, ressalta.

André relembra que o município tá começando um estudo de projeto de paisagismo pra aumentar o número de árvores no município, que tá virado numa selva de pedras, com tanto prédio e pouco verde. ?Cada calçada precisa de um tipo de árvore. A gente tem que incentivar o plantio?, diz.

  •  

Deixe uma Resposta