• 08 out 2009
  • Postado por Tiago

CRUZEIROS COMEMORAM

As entidades ligadas ao turismo feito por cruzeiros marítimos comemoraram a saída do Fernando Marcondes de Matos da presidência do Conselho Estadual de Turismo. Eles o consideravam um inimigo dos cruzeiros.

O pessoal dos resorts (Marcondes é dono do Costão do Santinho) teria uma certa pinimba com os navios de cruzeiro, vendo-os como concorrentes. E o pessoal dos navios acha que uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa. Seriam complementares, mais do que concorrentes.

Interinamente, até que no ano que vem o governador Pavan indique um substituto, assume o Conselho o presidente da Santur, Valdir Walendowski.

Segundo Ernesto São Thiago, da Associação Brasileira de Terminais de Cruzeiros Marítimos, ?a indústria de Cruzeiros no Brasil deve comemorar, pois Valdir Walendowski é um reconhecido entusiasta do segmento e membro ativo do GT Náutico de SC, colegiado que busca congregar e desenvolver os portos turísticos catarinenses?.

Entre as queixas do setor contra Marcondes está o fato do Fundo Estadual do Turismo não ter aplicado ?recurso algum em portos turísticos ou em qualquer outra necessidade deste segmento em Santa Catarina e o resultado é um enorme atraso na agenda de estruturação náutica de todos os portos turísticos catarinenses de São Francisco do Sul, Itajaí, Porto Belo, Imbituba e, até mesmo, Florianópolis, em relação a outros destinos de cruzeiros no Brasil?, afirma São Thiago em seu blog (ernestosaothiago.blogspot.com).

E pra mostrar que eles estão mesmo muito contentes com a troca, o Diretor Geral de Cruzeiros da CVC, Milton Sanches, que comanda a operação de vários navios na costa brasileira, enviou mensagem parabenizando Walendoski pela posse na presidência do Conselho.

O CARTORÁRIO JOÃO MATOS

Se o deputado federal João Matos (PMDB) não é cartorário, certamente irá ganhar algum título honorífico dos que serão beneficiados com o projeto do trem da alegria dos cartorários, do qual ele é relator (e defensor).

O projeto de emenda constitucional que Matos relata (e defende), abre as portas do paraíso para quem era dono de cartório entre 1988 e 1994 sem ter feito concurso para tal. É chamado de ?trem da alegria? porque permite que um grupo grande de bafejados pela sorte (alguns cálculos falam em 800, outros em 4 mil) vire efetivo automaticamente, sem ter que fazer concurso.

O projeto era pra ter sido votado no final de setembro, mas está meio trancado. Até alguns de seus defensores acha que, se aprovado no Congresso, será derrubado pelo STF (pelo simples fato de que a Constituição de 1988 já obrigava a realização de concursos). Mas João Matos não desiste.

ESTUPRO CONSTITUCIONAL

Por falar nisso, o colega colunista de política nacional aqui do DIARINHO, Cláudio Humberto, pega pesado, numa nota intitulada ?Quebra de decoro?:

?O deputado João Matos (PMDB-SC) é o autor da proposta de emenda que pretende estuprar a Constituição, efetivando sem concurso titulares de cartórios. E nem foi denunciado por quebra de decoro parlamentar.?

A cidade NÃO merece!

Trechos de um relato que o jornalista Mário Medaglia fez, no blog desta coluna, sobre a situação lamentável em que se encontra a rodoviária Rita Maria, uma das portas de entrada da capital do estado:

?O Chia, meu barbeiro, homem da cidade, ex-garçom da Lindacap nos tempos daquela casinha de madeira lá mesmo nos altos da Felipe, quando estava instalado na rodoviária, vivia se queixando, sentindo-se abandonado pelo poder público. Uma vez por semana estava eu na sua cadeira, sentindo o problema na pele e ouvindo as lamúrias de outros freqüentadores.

A rodoviária Rita Maria ? sacanagem com a homenageada ?, ao invés de servir como uma agradável porta de entrada da cidade há tempos vem é medindo o tamanho da mentalidade dos nossos administradores. E são exatamente aqueles que vivem cantando em prosa e verso seu amor por Florianópolis. Bando de cínicos, mentirosos e incompetentes, isso é o que são eles.

O asfalto do estacionamento atravessa temporadas cheio de crateras. Policiamento a qualquer hora do dia e da noite? Nem pensar. É território de ninguém. Quem se atreve a usar um dos poucos caixas eletrônicos ali instalados? Não sou doido. (…)

Em dias de chuva forte ou constante a administração não tem o menor constrangimento em espalhar baldes pelo saguão. Banheiros limpos? Não sei, nunca me atrevi a utilizá-los com nojo e medo de alguma contaminação.

A única coisa organizada lá é o esquema para tirar dinheiro do coitado que por descuido perde o cartão de estacionamento. Como aconteceu comigo. Tive que fazer um boletim de ocorrência, apresentar o papel à administração (?) da casa e pagar um troco razoável para liberar o veículo. Organização? Nada, ganância e falta de jeito, para não dizer outra coisa.

Não há carrinho para bagagem, muitas cadeiras de plástico estão quebradas, o piso velho e desgastado denuncia a falta de manutenção. Os motoristas de táxi em sua maioria são muito mal preparados para atender um viajante normal, quanto mais o turista. Vivi experiências bastante desagradáveis por causa disso. Sujeira e mau cheiro emolduram esse quadro lamentável. Outro dia conversaremos sobre o aeroporto.?

Ah, então é isso?

deolho8-lhs-pavan-moreira

Os três governadores de Santa Catarina: rumo às aposentadorias vitalícias

Não se fala em outra coisa nos corredores das repartições públicas. O zum-zum-zum, na verdade, começou no sul do estado, mais precisamente em Criciúma, terra do ex-vice Eduardo Moreira.

Lá eles lembram bem do que aconteceu: o Dr. Moreira foi governador ?durante apenas 8 meses e 21 dias?. E, ao sair, deu entrada num pedido de aposentadoria vitalícia que, segundo o sindicato nacional dos aposentados, ?vai lhe render R$ 22 mil por mês pelo resto da vida?.

Pois agora o que corre pelos bares, vielas e becos (e também no putzcri.blogspot.com), é que o ex-senador Pavan, que assume o governo em janeiro, estará apto a requerer, ao final de seu período de… governo, a tal aposentadoria vitalícia.

Quem não tinha entendido por que Pavan trocara o certo (o seu mandato de senador, ao qual renunciou) pelo duvidoso (um cargo de vice com promessa remota de candidatura futura ao governo, sem garantia de apoio), agora começa a entender o sentido da coisa.

Esse LHS é mesmo um gênio: no primeiro mandato, arrumou a vida do Dr. Moreira e agora vai arrumar a do Dr. Pavan.

Claro, com uma aposentadoria vitalícia de R$ 20 mil, o sujeito nunca mais vai ter preocupação: pode se candidatar a qualquer coisa sem estresse. Se ganhar, muito bem, se perder, nenhum drama. A legítima ?vida mansa?.

  •  

Deixe uma Resposta