• 24 out 2009
  • Postado por Tiago

LHS vai “desenhar” a sede definitiva da ENA-Brasil

Uma nota divulgada pela Secretaria de Comunicação e assinada pela repórter Júlia Zanatta trazia o nome da cidade francesa onde se situa o parlamento europeu, Strasbourg, escrito como Strausbourg. E não foi um cochilo datilográfico, porque no texto aparecia três vezes da mesma forma e na legenda das fotos, também.

Por que ela teria escrito assim? Afinal, ela estava lá… A grafia original, francesa, é Strasbourg. Em espanhol e português aparece como Estrasburgo, em alemão escrevem Straßburg (o caracter ß representa o som do duplo s), em alsaciano, Strossburi. Mas, me garantem seus colegas de secretaria, ela não cometeria esse erro, ainda mais na presença do seu chefe, secretário Derly Anunciação. Em algum lugar do mundo deve ser correto chamar a cidade de “Strausbourg”. A gente é que não sabe qual.

TAPA NA CARA

Bom, mas vamos ao que me levou a começar a escrever sobre a passagem de LHS e turma por Estrasburgo: LHS incorporou o espírito de arquitetos e engenheiros e resolveu, além de trazer a filial da escola francesa de administração, também pretende copiar-lhe as instalações físicas.

Trata-se de mais um tapa com luva de pelica na cara dos profissionais catarinenses que acham que sabem alguma coisa. Seus idiotas! Achavam que poderiam fazer uma escola de nível superior sem ajuda externa? Pois não podem! Achavam que poderiam planejar edifícios escolares conforme as características do clima catarinense? Pois não podem!

Assim como LHS, pessoalmente, desenhou os uniformes escolares distribuídos para os alunos das escolas públicas, está pessoalmente determinando como será a moderna, espetacular (e, pra variar, caríssima) sede da Ena-Brasil, no espetacular Sapiens Parque, digo, Park. Vai ser uma cópia da sede francesa de Estrasburgo. E c’est fini!

Foto deolho24-lhs-strasbourg: REUNIÃOZINHA ÍNTIMA

Parte da comitiva catarinense sentou-se à mesa, em “Strausbourg”, para conversar entre eles. Estão ali, da esquerda para a direita, o secretário da Comunicação, Derly Anunciação, o governador LHS (de olhos fechados, decerto imaginando aquela estrutura alsaciana erguendo-se no norte da Ilha), o Quirido, secretário da Articulação Internacional, Vinicius Lummertz e o deputado estadual e homem de TV, Cesar Souza Jr (DEM). Parece que não há outros participantes na conversa. Não aparecem na foto e não são citados na legenda:

“Estrutura da ENA francesa poderá servir de modelo para a sede brasileira. Governador Luiz Henrique visitou a escola de Strausbourg para recolher informações sobre a estrutura funcional – Strausbourg, França, 22/10/2009 – Foto: Júlia Zanatta / SECOM”

Fiz a molecagenzinha acima em dezembro do ano passado, para ilustrar uma notinha intitulada, apropriadamente, de “O amigo de sempre”. Como podem ver, continua bem atual, sem tirar nem por, quase um ano depois…

Uma das fontes mais seguras e regulares de recursos para as empresas e empreendimentos do João Dória Jr. é o governo de Santa Catarina. Têm, LHS & Dória, um relacionamento mais do que amistoso. Eu diria mesmo que é amoroso.

Na recente revoada dos governadores catarinenses mundo afora, Dória levou mais uma graninha do riquíssimo e poderosíssimo governo LHS: lembram-se que Pavan e parte da comitiva deram uma passadinha na República Dominicana, onde se realizava o 14º Meeting Internacional? Pois é, esse era um evento da… Dória Associados.

Segundo consta no Diário Oficial do Estado, do dia 16 de outubro, pela inexigibilidade de licitação (claro, claro) nº 041/2009, a Santur pagou aos promotores do “Meeting” a pequena quantia de R$ 327 mil.

E ali também está escrito que o vice-governador, Leonel Pavan, foi participar “representando o Secretário de Cultura, Esporte e Turismo”. Ora vejam só, normalmente ocorria da autoridade maior ser representada por uma autoridade de menor nível hierárquico, mas até nisso o governo LHS está inovando: o vice-governador está a serviço do secretário Knaesel. Claro, o homem dos fundilhos sem fundo tem mesmo que ser paparicado.

CONVITE “ESPONTÂNEO”

Isso de pagar para poder participar de encontros com outras autoridades e empresários é a suprema humilhação. Eu me sentiria muito mal, se só fosse convidado para festas e reuniões depois de pagar pelo convite.

E para mostrar que o governo LHS tem cadeira cativa nos eventos, no ano passado também estivemos presentes no tal Meeting, que foi realizado em Lisboa. E também pagamos a entrada. E, ainda mais, também pagamos uma reunião “preparatória”, em São Paulo. Contei o caso aqui na coluna, em outubro de 2008.

Mas, quem sou eu para interpretar os superiores desígnios desse relacionamento tão lindo… E, pelo menos para o João Dória, tão proveitoso…

  •  

Deixe uma Resposta