• 09 maio 2009
  • Postado por Tiago

Cesar Souza Jr. tenta fazer média e acaba levando canelada dos leitores

“PROJETO DE LEI Nº 084/09

Reconhece o Município de Porto Belo como Capital Catarinense dos Transatlânticos.

Art. 1° Fica reconhecido o Município de Porto Belo como a Capital Catarinense dos Transatlânticos.”

Uma leitora, chamada Aline, mandou uma caneladinha básica no deputado Cesar Souza Jr (DEM, na foto acima, à esquerda), a propósito desse projeto esquisito acima, que foi apresentado por ele.

Em resumo, é isto que a leitora pergunta:

“É um deboche? Será falta de trabalho?”

Um outro leitor, o Ernesto São Thiago, sempre envolvido com o assunto de portos e cruzeiros e que, pelo jeito, adora um debate, não perdeu tempo e, quando viu a queixa da moça no meu blog, seguiu na mesma linha, reforçando a cobrança ao deputado e, principalmente, deixando uma informação forte: “O presidente do Conselho Estadual do Turismo [Marcondes de Mattos] é dono de resort e inimigo publicamente declarado dos cruzeiros”.

Olha só:

“Porto Belo é a cidade catarinense que, atualmente, mais recebe transatlânticos por questões circunstanciais: São Francisco do Sul, Itajaí, São José (Grande Florianópolis) e Imbituba ainda estão se estruturando, SFS e Itajaí mais rápido que as demais.

A médio/longo prazo a distribuição de escalas deverá estar mais equilibrada entre os portos turísticos catarinenses – e assim deve ser.

Com este objetivo todos nós ligados ao segmento de cruzeiros estamos trabalhando.

A proposição do deputado é precipitada e oportunista, além de desrespeitosa para com os demais municípios catarinenses envolvidos no assunto.

A “iniciativa” pode até azedar as reuniões que os portos turísticos de SC estão realizando mensalmente, de modo harmonioso, para desenvolver a costa catarinense como destino qualificado de cruzeiros.

Enfim, é uma péssima idéia, fruto de quem está distante da realidade do mercado e quer fazer média sem aprofundar-se no assunto.

Se a proposição for adiante o deputado, talvez, ganhe alguns votos em Porto Belo mas, com certeza, vai perdê-los aos milhares em outras cidades de SC que estão recebendo ou vão receber, no futuro, tão ou mais navios de cruzeiro do que Porto Belo.

Já pensaram que desagradável ter que revogar a lei em alguns anos em razão de algum município catarinense passar a receber mais navios do que Porto Belo? Se isto ocorrer qual vai ser a justificativa para manter o título?

O presidente do Conselho Estadual do Turismo é dono de resort e inimigo publicamente declarado dos cruzeiros.

Então, se o deputado quisesse fazer algo de realmente útil para o segmento de cruzeiros, deveria era estar mobilizando a bancada governista para cobrar do Conselho Estadual do Turismo postura proativa em favor do desenvolvimento do setor na costa de SC como um todo, paupérrima de infraestrutura adequada, pois os navios distribuem a renda dos seus passageiros horizontalmente no comércio local, do artesão à loja de grife, ao contrário dos resorts, que praticamente enclausuram o turista e o mantém gastando somente alí, sem sequer fazer um city tour, às vezes.”

SEU VOTO ESTÁ À VENDA?

Pode parecer incrível, mas ainda tem muita gente que vende votos. Prova disso é o número de políticos apanhados comprando votos. Segundo matéria publicada no site Congresso em Foco, de outubro de 2008 até agora a Justiça já cassou 357 por compra de votos: 238 prefeitos e vices e 119 vereadores.

Claro que deve ter outro tanto que não foi apanhado, mas já é um número expressivo. E, de certa forma, assustador. Mais assustador ainda porque houve um crescimento de 14% em relação à soma das duas eleições anteriores. A turma está cada vez indo com mais sede ao pote.

DA SÉRIE: “O DINHEIRO ABUNDA”

Começa em breve em Blumenau mais uma edição do “Aberto de Tênis de Santa Catarina”, coisa do “Instituto Catarinense do Esporte”, uma daquelas muitas organizações que florescem no estado, cujo objetivo principal parece ser “captar recursos dos fundos estaduais” (jeito novo de dizer “mamar nas tetas da viúva”).

Segundo o Diário Oficial do Estado do último dia 13 de abril, página 21, a entidade levou, para esse evento, a módica quantia de R$ 850 mil. Quem assina em nome do tal Instituto é o ex-tenista Eduardo Augusto Teodoro Sant’ana, que contrata a também sua Sant’Anna Eventos Esportivos para organizar a coisa, com a ajuda da ProTenis gaúcha.

Esse Aberto era realizado no Costão do Santinho e este ano será em Blumenau (a pretexto de festejar 180 anos da colonização alemã). Cá pra nós, prum estado que todo mês se queixa de queda de arrecadação, que vive dizendo que está mal das pernas, que precisa economizar, R$ 850 mil é uma boa grana para apoiar um esporte de massa como o tênis, né não?

Fala, leitor!

“Se o deputado quisesse fazer algo de realmente útil para o segmento de cruzeiros, deveria era estar mobilizando a bancada governista para cobrar do Conselho Estadual do Turismo postura proativa em favor do desenvolvimento do setor na costa de SC como um todo”

  •  

Deixe uma Resposta