• Postado por Tiago

CAPA-ABRE-18_topo_dae-navega-caixa-d'água_carmem-mirandaDepartamento de água diz que água não vai ter pressão suficiente

Que na temporada de verão o líquido precioso vira raridade no Gravatá, em Navega, isso todo mundo já sabe. Mas o seu desaparecimento das torneiras e chuveiros, antes mesmo do Natal, virou novidade e motivo de revolta entre os moradores. Ontem e na terça-feira, o povão dengo-dengo sofreu com a falta d´água no bairro. O departamento de Água e Esgoto (DAE) avisou que uma bomba da Meia Praia teve um problema mecânico, que já foi consertado. Mas durante toda a temporada poderá haver problemas de pressão e que podem complicar o abastecimento, principalmente de casas e prédios com mais de dois andares.

O secretário da associação de Moradores do Gravatá, Arno Sharf, foi o primeiro a abrir o bocão. ?Todo ano é a mesma coisa. Paga-se caro o ano inteiro e no final do ano a água falta nas torneiras. Os veranistas ainda não chegaram e já a pressão da água aqui no Gravatá é caótica?. Lasca. Os comerciantes da avenida José Juvenal Mafra também reclamaram. ?Ontem não deu pra fazer nada, nem tomar banho?, reclama Vanderleia Maciel, 27 anos, que possui uma loja de calhas no bairro.

Um milico que preferiu não se identificar pra não ter problemas falou que os meganhas que vieram pra city dengo-dengo pra Operação Veraneio e que estão instalados num alojamento no Gravatá, também estariam sacudos com o problema. ?O pessoal que chegou esses dias não parou de reclamar. Não conseguem tomar banho e nem fazer a barba?, debulha.

O problema, segundo a diretora do DAE, Sandra Demétrio Santiago, é que na terça-feira uma bomba de água, que fica na Meia Praia e abastece o Gravatá, teve um problema mecânico. ?Não tinha pressão o suficiente durante o dia. Trabalhamos até meia-noite e conseguimos resolver o problema?, garante a muié.

Economia

De qualquer forma, a previsão para a temporada não é nada otimista. ?Dependemos da água de Itajaí. Se eles não mandam o suficiente, não temos como enviar. Nós não temos como abastecer o segundo piso em diante porque não tem pressão?, afirma. Outro problema que afeta o abastecimento, segundo a chefona do DAE, é a falta de caixas d´água ou de cisternas nas baias. ?A água acaba mais rápido nos locais onde não se armazena?, diz.

Para tentar evitar um pouquinho o problema, o DAE está trabalhando no Gravatá com três poços artesianos com o sistema de ponteira – que extrai água da terra. ?Mas o ideal é que os moradores racionem o máximo possível de água pelo dia, deixem as faxinas para a noite, quando o abastecimento voltará ao normal?, ensina.

Barra Velha

Já na terrinha do pirão, a prefa contratou uma empresa pra realizar o abastecimento de água durante a temporada. Na segunda-feira, foi feita a interligação da parte hidráulica para a bomba de pressão do bairro Itajuba, que deve garantir mais pressão no local, evitando falta de água durante a temporada. O Morro do Colchão, no São Cristóvão, também recebeu uma bomba e novas instalações.

  •  

Deixe uma Resposta