• Postado por Tiago

Dia 2 de fevereiro de 1999

Muito parecida, guardadas as devidas proporções, é claro, a situação do Fernando Henrique e do Zé Carlos do Tiradentes.

Vejam:

Ambos se candidataram à reeleição.

Ambos fizeram o que podiam e o que não podiam, o que deveriam e o que não deveriam fazer, pra conseguirem suas tão sonhadas reeleições.

FHC dava o Brasil como um país sólido, moeda forte;

Zé Carlos dava o Tira como exemplo de clube bem administrado e enxuto.

Agora, tá se vendo que o Brasil tá na maior m…

Agora tá se vendo que o Tira tá na lona.

vvv

Esse foi o preço da reeleição do FHC e do Zé.

E que preço.

vvv

O de Brasília se reelegeu mostrando pra toda uma Nação um Brasil fictício, dado como forte, mas débil como criancinha de colo.

O nosso aqui da Barra do Rio mostrou pra Itajaí um Tiradentes fictício, de saúde financeiro-administrativo calamitosa.

Ambos foram reeleitos com o apoio de esquemas fabulosos, o de Brasília pela Globo, bancos internacionais, etc; o aqui da Barra do Rio, com o apoio de poderosas figuras do partido situacionista e do governo municipal.

vvv

E o que é que deu?

Tanto em Brasília quanto na Barra do Rio, a maior merda.

vvv

FHC, hoje, perambula pelos corredores dos seus palácios, falando sozinho, vendo fantasmas, enganado e sem mais como enganar o povo brasileiro.

Zé Carlos, afastado no fim de semana do Tira, vai ter que se contentar em assistir o Carnaval como simples “Arquibaldo”.

vvv

Em termos de Brasil, o Lula, e em termos de Barra do Rio, o Mafezzoli, respectivamente concorrentes do FHC e do Zé, no fundo, no fundo devem estar com a boca na orelha, rindo à toa.

Enquanto a Globo, os bancos internacionais, etc e os poderosos de plantão do PPB de Itajaí e do governo municipal, com caras de bobos.

Só agora constataram que investiram mal.

  •  

Deixe uma Resposta