• 13 maio 2009
  • Postado por Tiago

Uma sacanagem pra quem precisa trabalhar (parte II)

Dia 24 de junho de 1998

O que tem que fazer é o Jandir e o Macagnan chamarem esses burrocratas de merda, esses caga-sentenças, esses cus-de-encrenca, que querem demonstrar otoridade no lombo de humildes trabalhadores, como os vendedores de peixe dos fundos do mercado, e chamá-los à razão. Pra que deixem de ser bestas.

Ainda mais quando se sabe que o comércio de peixe, no centro de abastecimento Paulo Bauer, está nas mãos de atravessadores. E que a banca de peixe tem horário de repartição pública.

Não trabalha feriado, dia santo, sábado à tarde, nem domingo. E nesses dias, onde o povo vai comprar seu peixe? O pescador, por exemplo, não tem onde vender seu peixe ali. O pescador não pode entrar lá dentro pra vender seu peixe porque todos os boxes estão nas mãos de comerciantes. Por isso, é explorado por terceiros. E alguns são obrigados a vender seu peixe nos fundos da banca.

E daí? Eles não tão roubando, nem nada.

Miúdas

– Enquanto quase todos os partidos políticos da região já estão com seus candidatos na rua, o PFL patina.

xxx

– Prejuízo, porque, por exemplo, na deputação federal na região, o PMDB, o PSDB e o PPB já têm nomes na rua. Mas o PFL nada.

xxx

– Ontem, na Cocada, um membro daquele excelso pretório comentava o assunto e dava sonoras risadas do que classificou como besteirol do PFL, jogar pra candidato a deputado federal o Konder Reis. “É bananeira que já deu cacho”, dizia o comentarista cocadeano, para arrematar: “Na Armação, onde ele mora, nem os vizinhos votam nele”. É de pensar.

  •  

Deixe uma Resposta