• 27 maio 2009
  • Postado por Tiago

O desemprego em Itajaí (Parte II)

Dia 09 de julho de 1998

Continuação da edição anterior

Você, caro leitor, na certa já procurou uma pessoa pra fazer um pequeno serviço na sua empresa, um homem para arrumar um telhado ou conservar seu jardim, mas o não encontrou.

No entanto, centenas, talvez milhares de pessoas estejam, desesperadamente, no mesmo instante, procurando uma colocação, um bico, um pequeno serviço que seja. E não encontram.

E por que isso acontece? Porque os meios tradicionais, os Sines, as agências de colocações, os atuais órgãos governamentais que tratam do assunto, infelizmente, não funcionam.

Daí temos que ter a coragem de sair procurando por soluções alternativas.

E é na busca delas que as nossas colunas estarão à disposição de todos que queiram debater o problema do desemprego, ao mesmo tempo em que pedimos a colaboração daqueles que forem procurados pela nossa reportagem, na busca de informações.

É o mínimo que o DIARINHO, dentro do compromisso que temos com a comunidade, pode fazer, como sua parte na solução ou diminuição do problema.

Sem falar que, de algum modo, nossa parte estamos fazendo, pois enquanto muita gente está demitindo, nós, felizmente, estamos dando empregos.

Como faz, por exemplo, este grande itajaiense, o Comendador Cídio Sandri, o homem que mais frentes de trabalho abre em nosso Estado.

Eu, se fosse o presidente, o governador, o prefeito, chamava o Comendador e pedia que ele chefiasse uma “agência” para acabar com o desemprego. Aposto que ele o faria.

  •  

Deixe uma Resposta