• 08 jun 2009
  • Postado por Tiago

Já encheu o saco

Dia 21 de julho de 1998

O negócio do Ronaldinho já encheu o saco de todo mundo.

Parece até assunto de transcendental importância para a vida do povo brasileiro.

Rádios, tevês e jornalões não falam em outra coisa.

Será que isso tudo não é um esquema? Enquanto todo mundo focaliza o Ronaldinho, ninguém fala em desemprego, falta de hospitais, violência e coisa assim.

Não somos treinadores de times de bola, não somos pedagogos, nem psicólogos, mas peraí: o negócio de 22 jogadores, marmanjões com saúde de ferro, energia saindo pelos furos, barriga cheia, todos eles, uns baguais, todos na ponta do “casco”, presos, reclusos feitos frades, 60 dias numa concentração na punheta, isolados do mundo, será que isso tá certo?

Não seria mais correto deixá-los, durante a disputa da copa, levando vida normal, treinando, indo para casa, pro bar, pra putaria, pro cinema, enfim, fazendo concentração somente na véspera dos jogos?

Coitada da Casan

A Casan já não tem, como nunca teve, boa fama.

Nunca me esqueço que, no tempo do governo do Jorge Bornhausen, o vice, o Henrique Córdova, dizia pra uma delegação de investidores itajaienses que foram lá na Capital “3M” reclamar do governo, e, inclusive da Casan: “A Casan é a Geni do governo”.

E era, e é.

Não bastasse tudo de sacanagem que rola lá dentro, agora é que a Casan de Itajaí vai virar autêntica casa de puta.

É que, com a campanha eleitoral, o governo Paulo Afonso mudou a gerência em Itajaí.

E botaram para tocar a Casan de Itajaí um testa de ferro do Erico Laurentino. Aquele das bandalheiras do fim de festa do governo do fujão.

Já pensaram?

Se eles não se cuidarem, na hora da despedida do governo Paulo Afonso eles vão fazer pior que fizeram na despedida do governo do fujão. O Erico e a sua gangue são capazes de vender até as caixas d´água.

  •  

Deixe uma Resposta