• 09 jul 2009
  • Postado por Tiago

Meio Ambiente, Itajaí e Balneário

Dia 10 de setembro de 1998

O artigo publicado ontem nesta página do DIARINHO, pelo nosso prezado colaborador José Emiliano Rebelo Neto, é uma sentença condenatória ao atual e aos governos municipais de Itajaí que o antecederam.

v v v

Emiliano, com uma objetividade e profundidade que só os competentes têm, dissecou a situação ambiental de Itajaí e, no final, nos deixou arrepiados pela insensatez dos nossos governantes. Que, esta é a crua verdade, nada fizeram e nada têm feito, ao contrário, tiveram e têm, consciente ou inconscientemente, colaborado para a bagunça ambiental peixeira.

v v v

Já é incrível que um homem como o Emiliano, a maior autoridade que temos no setor ambiental, até hoje não tenha sido, sequer, convidado para colaborar em estudos, planejamento e execução de um projeto ambiental para Itajaí. Coisa que mais se ressente, quando sabemos que o setor do meio ambiente no Itajaí está entregue a despreparados e omissos que se limitam a correr atrás do bicho depois da cagada feita e olhe lá.

v v v

O contrário ocorre em Balneário Camboriú, onde a equipe comandada por Raimundo Malta (um cobra no assunto) trabalha na execução de uma política ambiental, talvez a mais eficiente de todo o Estado.

v v v

E, ontem mesmo, no DIARINHO do dia, o leitor teve como conferir a diferença de postura, entre o governo de Itajaí e o de Balneário, no setor ambiental. Enquanto o artigo do Emiliano nos deixava desalentados, pelas enormes proporções do problema ambiental peixeiro, infelizmente esquecido pelo governo, noticiamos a ação do governo Pavan contra a Casan, multada pela terceira vez em poucos dias, e agora em 40 milhões, por jogar merda no rio Camboriú.

E em Itajaí, você, caro leitor, ouviu dizer nos últimos anos que a prefeitura tenha punido alguém por poluir?

  •  

Deixe uma Resposta