• Postado por Tiago

Dia 29 de janeiro de 1999

Continuação da edição anterior

Sequer sabe-se no que deu a sacanagem dos criminosos que vendiam água acondicionada em vasilhame de detergente.

Quanto ao caso da denúncia de barata dentro da água Rio do Ouro, vamos cobrar da saúde pronunciamento conclusivo.

xxx

A verdade é que, no Brasil, direito do consumidor ainda é quimera. Tá só no papel.

Na prática, tá engatinhando.

Haja vista ao fato de, até hoje, por exemplo, não haver em todo o estado de Santa Catarina uma Delegacia de Proteção ao Direito do Consumidor sequer.

xxx

No caso dos Procons, não obstante os esforços dos promotores de Justiça, curadores do Direito do consumidor, se lhes deram encargos, mas não lhes deram meios de exercer a função relevante que poderiam exercer.

Por outro lado, as associações da defesa do consumidor, pobres de meio de toda espécie, ainda funcionam, embora precariamente, graças à garra dos seus componentes.

xxx

Já o outro lado do balcão tá protegido pela FIEPs, FIESCs e poderosas entidades empresariais, que peitam o governo e não lhe deixa aparelhar os órgãos oficiais de defesa do consumidor.

xxx

Enquanto isso, o nosso DIARINHO, que pode se gabar de ser um dos jornais do Brasil que mais tem comprado brigas a favor do consumidor, vai levando. E agora, em fevereiro, vai intensificar essa linha com a criação de uma delegacia da ACADECO e do RECLAMATÓRIO PÚBLICO, que já funcionam com real proveito em Balneário, no centro de Itajaí.

Será mais um serviço do DIARINHO ao seu público leitor e ao consumidor da cidade peixeira.

  •  

Deixe uma Resposta