• Postado por Tiago

Dia 28 de novembro de 1998

Assim como quem rouba, ou tá querendo esconder alguma coisa, os vereadores aprovaram na noite de quinta-feira a lei que transfere pra frente da Igreja Matriz os 170 camelôs de Balneário Camboriú. O projeto é do prefeito Leonel Pavan e a maioria dos vereadores foi favorável: 12 a 3, nas duas votações. A reunião de quinta à noite rolou na maior tranquilidade e com muita rapidez os vereadores analisaram o projeto e deram seu voto. Em meia hora tava tudo pronto e os representantes do povo se mandaram pra casa (?) – a tempo de assistir o jogo Palmeiras e Cruzeiro pela tevê.

vvv

Ninguém pediu pra usar a tribuna e só a imprensa pôde assistir a reunião. Do lado de fora da Câmara um grupo de camelôs fez uma manifestação muito tímida, diante de uma tropa de choque da PM, camburões e policiais armados. Até o delegado titular da comarca, Ademir Serafim, estava lá, de prontidão. O máximo da manifestação foram os irônicos aplausos que os camelôs ofereceram aos vereadores, quando estes iam deixando a Câmara, um atrás do outro, como quem fugia.

Batalha

Os camelôs disseram que podem ter perdido uma batalha, mas que não perderam a guerra. Estão preparando ataques de todos os lados, para garantir seus direitos. Eles são contra a transferência da avenida Brasil, por causa do preço do terrenos que eles garantem estar sendo superfaturados. E não perca na edição deste domingo o resultado do grampo que o Circo do DIARINHO fez nos bastidores dessa história que, podemos garantir, ainda vai dar muito pano pra manga. Ah! O leitor deve estar querendo saber quem votou contra a lei do Pavan, né? Os de sempre, é claro: Jorge Cachel e Cláudio Dalvesco, ambos do PFL, e Paulinho Corrêa, do PMDB.

  •  

Deixe uma Resposta