• Postado por Tiago

Obra faz parte de acordo entre mandachuvas da segurança e juiz corregedor

O cadeião peixeiro vai contar com um centro de triagem pra receber os presos pedidos pela justa que caírem nas mãos dos homisdalei na calada da noite. O prédio, com três celas com seis metros quadrados, deve ficar pronto até o começo de dezembro. Com a construção, o presídio vai passar a receber presos 24h por dia. Antes os bandidos só podiam chegar com hora marcada: das 8h às 19h.

Inicialmente a previsão era entregar as obras no final de outubro, mas o departamento de Administração Prisional do Estado (Deap) só começou a obra esta semana. A construção do centro de triagem foi decidida em uma reunião das otoridades de segurança do estado em agosto. Na época, o juiz corregedor do presídio, Carlos Roberto da Silva, deu um prazo de 60 dias para o Deap terminar a obra, mas a falta de verbas atrasou a construção.

A decisão foi tomada depois que o chefão da secretaria de Segurança Pública do Estado, Ronaldo José Benedet, baixou uma portaria proibindo as delegacias da polícia civil de ficar com presos sem a presença dos milicos. Com a decisão, a polícia militar não tinha mais onde colocar os vadios presos durante a noite pedidos pela justa, quando o cadeião tá fechado.

A solução tapaburaco, segundo o coronel da PM, Marco Antônio Otávio, era deixar os malacos dormindo em um carro de transporte de presos dentro do cadeião até o dia amanhecer, guardados por um policial. Com o centro de triagem, essa chinelagem vai acabar.

O diretor do cadeião peixeiro, Maurílio Antônio da Silva, garante que não há riscos de superlotação nas novas celas, já que os presos ficarão só durante a noite no centro de triagem e pela manhã serão guardados nas celas do xilindró. O diretor garante também que o centro de triagem não é um indício de que a construção do novo presídio na city deva demorar mais do que já atrasou.

  •  

Deixe uma Resposta