• Postado por Tiago

TERCEIRA-ESPECIAL---Kenpo-2009-047

Speakman faz questão de bizolhar suas escolas de perto

Jeff Speakman graduou-se em psicologia, mas seu interesse mesmo eram as práticas de defesa pessoal. Começou há 30 anos sob orientação de Lou Angel, mestre em caratê japonês Goju-ryu. Foi este professor que ensinou o caminho das pedras para Speakman: orientou-o a procurar o havaiano Ed Parker, na Califórnia/EUA, se quisesse realmente fazer das artes marciais a sua vida.

Parker tinha como alunos várias celebridades de Hollywood e sonhava em fazer um filme que mostrasse a essência do Kenpo que ele desenvolvera a partir da tradição chinesa. Era tudo o que Speakman queria também. Assim, o garoto de 22 anos foi estudar artes cênicas para ser ator e dali a cinco anos o mundo aplaudia o seu filme mais famoso, ?A arma perfeita?, pela Paramount Films. Atualmente, o ator continua investindo no ramo da telona. Ele e o diretor Martin Scorcese (Gangues de Nova Iorque, O aviador, Cabo do medo) estão produzindo um documentário sobre presidiários que estão em prisões de segurança máxima na Califórnia.

Mas a menina dos seus olhos mesmo é a AKKS ? American Kenpo Karate Systems. O que difere o seu programa de técnicas das outras variantes do Kenpo é a adaptação às necessidades que surgem com o passar do tempo. Por exemplo: de uns cinco anos para cá, Speakman teve que rever seus ensinamentos depois de ouvir as lamúrias de seus alunos que reclamaram de estar levando um cacete federal dos praticantes de jiu-jitsu brasileiro, aquele que a família Gracie mostrou ao mundo e é praticamente imbatível nos combates. O que ele fez, então: criou formas de luta e defesa no chão, incorporou-as ao programa anterior e batizou o novo formato de Kenpo 5.0.

Seu método é tão respeitado que Speakman foi certificado em Táticas Defensivas pelo Departamento de Justiça Americano para lecionar no DEA, FBI, Homeland Security e outras equipes especiais da puliça americana. Os dvds de suas aulas vendem mais que livros de autoajuda nos Isteites, sem falar nos seminários, palestras e conferências que faz pelo mundo afora.

  •  

Deixe uma Resposta