• Postado por Tiago

Os deficientes e velhinhos que quiserem estacionar suas carangas nas vagas reservadas a eles em áreas públicas e mesmo em estacionamentos privados vão ter que procurar a Codetran pra fazer um cartão específico. O órgão peixeiro que cuida do trânsito começou a emitir o cartão especial nesta semana e vai cobrar o uso dele a partir de 1º de janeiro. O adesivo indicando que a caranga é de um deficiente não terá mais validade. A boa notícia é que, com o novo cartão, velhinhos e deficientes não vão mais precisar pagar a maledita zona azul.

O documento, que é diferenciado para deficientes e idosos, tem validade de um ano e deve ser retirado na Codetran, que fica ao lado da Celesc, na Barra do Rio. “Esse cartão é válido no Brasil inteiro e já tá sendo emitido em todas as cidades. Cada morador retira na sua cidade”, explica o chefão da Codetran, José Alvercino Ferreira.

O cartão sai com o nome do deficiente físico ou idoso. Pra fazer o cadastramento deve-se ter em mãos cópia e original do documento de identidade, comprovante de residência e laudo médico recente, em caso de deficiência.

A partir de janeiro, o cartão, quando em uso, deve ficar no painel da caranga com a parte da frente pra cima. O chefão da Codetran já avisa que o pessoal deve guardar o novo documento em local seguro, pois os guardinhas estarão de olho e, de vez em quando, vão pedir o cartão pra comprovar se o documento não é falso.

Outro detalhe importante é que sempre que usado o cartão, o dono precisa estar na caranga nem que seja como carona. Caso alguém queira se aproveitar usar o credenciamento emprestado, corre o risco de ser flagrado pelos guardinhas e aí é multa na certa. “A fiscalização vai ser intensa. A multa, quando o dono do cartão não está junto no carro, é de R$ 171 e mais sete pontos na carteira”, avisa o chefe da Codetran.

  •  

Deixe uma Resposta