• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-CINCO-p---roupas-ilhota-2

Roupa será enviada pros desabrigados do Maranhão

O delegado Procópio Batista da Silveira Neto, de Rio Negrinho, volta esta semana a Ilhota pra ouvir seis suspeitos de estarem envolvidos no repasse de donativos ao serralheiro Ismael Ratzkob, 37 anos. O safado vendia as doações dos flagelados por R$ 1 a peça. O dotô não quis revelar os nomes dos acusados, mas adiantou que tem abobrões, parentes de barnabés e até voluntários no meio do rolo.

Ele não descarta o pedincho de prisão preventiva do pessoal que será ouvido, caso fique comprovado o envolvimento na falcatrua. ?Isso poderá acontecer ao final do inquérito?, revelou.

Na última quinta-feira mais uma pessoa foi grampeada pela polícia, acusada de participar do esquema de repasse de doações. José Algacir Gomes da Siqueira foi preso em Campo Alegre, norte da Santa & Bela, com nada menos que 15 toneladas de roupas e calçados doados às vítimas da enchente no vale do Itajaí.

Assim como o serralheiro de Rio Negrinho, José também disse ter buscado tudo em Ilhota. Mas os homisdalei não acreditam que o cara fizesse parte da quadrilha de Ismael. ?Ele informou que foi pessoalmente a Ilhota, depois de fazer contato com pessoas ligadas à prefeitura, e trouxe os donativos?, contou o delegado.

Com José, já são quatro pessoas guentadas por fazer grana vendendo donativos. No início da semana passada, Hugo Ratzkob, 61, e Mario Wowcsuk, 43, ganharam o teje preso em União da Vitória (PR) porque negociaram com Ismael pra revender a mercadoria por aquelas bandas, em troca de uma participação nos lucros. A polícia estima que só o serralheiro tenha embolsado cerca de R$ 300 mil na brincadeira.

Bizolhadas na prefa

Enquanto a polícia tenta colocar as mãos em quem autorizou a sacanagem, a prefa de Ilhota abriu uma sindicância interna. O prefeito da city, Ademar Felisky, diz que tão rolando interrogatórios com barnabés que participaram da distribuição de doações. Ele jurou de mãozinhas postas que não sabe nada além disso e não quis adiantar detalhes das bizolhadas. A roupa será encaminhada pros desabrigados do Maranhão.

Já em Itajaí, a procuradoria geral do Município registrou, ontem, na 1ª depê, um boletim de ocorrência pra oficializar denúncia recebida na secretaria de obras e serviços municipais, a respeito do descarte clandestino de roupas e calçados em um terreno baldio localizado na avenida Mário Uriarte, nos Cordeiros.

  •  

Deixe uma Resposta