• Postado por Tiago

Uma mãe acabou em cana na manhã de ontem, em Camboriú, depois de ter denunciado o marido sem-vergonha, que bolinou sua filhinha de quatro anos. A mulé tava pedida pela dona justa do Rio Grande do Sul por receptação de mercadorias roubadas e acabou sendo levada pra ver o sol nascer quadrado. O vadio que cometeu a crueldade contra a criança siscapoliu e tá livre, leve e solto.

O dia mal tinha raiado quando A.M.C., 26 anos, que mora na rua Monte Bonete, bairro Monstro Alegre, pintou na depê, desesperada. Por volta das 5h da matina, ela tinha levantado da cama e flagrado seu companheiro passando a mãozona em sua filhinha de quatro anos, que tava dormindo. O traste é padrasto da anjinha.

A mulé ficou injuriada e correu pra avisar os homisdalei sobre a judiaria, pra que pusessem o nojento detrás das grades. Ela contou toda a história e depois foi levada, junto com a criancinha, pro conselho tutelar.

Os tiras seguiram então pra baia da família, à cata do safado. Por azar, o sem vergonha tinha sitocado que tava com o couro negociado e siscapoliu, antes que os homis aparecessem.

Assim que voltaram pra delegacia, os policiais foram terminar de relatar a ocorrência e botaram o nome da mãe no sistema caça-bandido, pra ver se tinha alguma coisa contra ela. Descobriram que a moçoila tava pedida pela dona justa gaúcha por receptação de mercadorias surrupiadas.

Os tiras avisaram os homis da puliça militar, que conseguiram grampear a guria no conselho tutelar, onde ela ainda tava dando seu depoimento. A mulé foi enjaulada na depê até que a justa do Rio Grande do Sul decida o que fazer com ela.

A anjinha passou pelos psicólogos do conselho do tutelar e foi encaminhada pra fazer exame no Instituto Médico Legal (IML) de Balneário Camboriú. Os conselheiros passaram a tarde de ontem à procura de alguém da família da mãe que pudesse ficar com a criança. Se não achassem ninguém, a pobrezinha tava pra ser encaminhada pra um abrigo.

  •  

Deixe uma Resposta