• Postado por Tiago

Ontem mesmo deputados entregaram autorização ao TJ

Os deputados estaduais aprovaram ontem à tarde o pedido do Tribunal de Justiça (TJ) pra que os desembargadores possam continuar analisando as acusações que pesam sobre o vice-governador Leonel Pavan (PSDB) por corrupção passiva, quebra de sigilo funcional e advocacia administrativa. O resultado da votação, que foi unânime, já foi informado oficialmente ontem mesmo ao judiciário.

Antes da votação, o deputado Gelson Merísio (DEM), presidente da assembleia legislativa (Alesc), leu a carta que Pavan enviou ao legislativo, pedindoque os parlamentares aprovassem o pedido pra que ele fosse investigado pelo TJ.

A previsão é de que os desembargadores voltem a discutir o processo envolvendo o vice-governador somente na sessão do dia 17 de fevereiro, já que a desembargadora Salete Silva Sommariva, responsável pelo caso, está em licença médica.

O advogado Gastão da Rosa Filho, que defende Pavan, revelou que quer desmembrar o processo. Ele quer que seu cliente seja julgado independentemente dos outros seis acusados no caso. A intenção seria ganhar tempo e ampliar o prazo de defesa.

Entenda a acusação contra Pavan

O vice-governador Leonel tá sendo acusado pelo Ministério Público de ter embolsado R$ 100 mil pra agilizar a limpeza do nome da empresa Arrows Petróleo do Brasil. A distribuidora de combustíveis devia R$ 13 milhões aos cofres estaduais e por esta razão estava proibida de atuar na Santa & Bela. A Arrows queria voltar a operar aqui e teria tentado ludibriar a rapaziada da secretaria da Fazenda usando Pavan como facilitador.

  •  

Deixe uma Resposta