• Postado por Tiago

O delegado Renato Hendges, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic), pintou na Leleia esta semana pra ter um plá com os deputados sobre o andamento do inquérito que apura os atentados contra três vereadores de Camboriú. Os ataques rolaram entre 2005 e 2007 e incluíram tentativas de assassinato, invasões de casas e ameaças.

Na época, os vereadores Imenésio de Souza (PDT), Lucien Aguiar (PT), e o coleguinha Claudinei Loos (PMDB), que ainda se mantém no cargo, tavam envolvidos numa comissão parlamentar de inquérito (CPI) que investigava falcatruas no governo do ex-prefeito da capital da pedra, Edinho Olegário (PSDB). Eles acreditam que os atentados tenham fundo político, e a tese é sustentada pela polícia. Tanto, que dotô Renato chegou a comentar que não tinha dúvidas do envolvimento de barnabés na treta.

Desde então, dotô Renato tá com a tarefa de concluir o inquérito pra ver se pede ou não a prisão da quadrilha e do mandachuva de toda a bandidagem. Ele foi chamado à Leleia pelos deputados da comissão de segurança, Darci de Matos (DEM), Deba Cabral (PMDB), Sargento Soares (PDT), Kennedy Nunes (PP) e José Paulo Serafim (PT) pra contar a quantas andam as investigações.

O delegado disse à politicagem que já tem todos os nomes dos envolvidos nos crimes em suas mãos, mas ainda falta fechar o relatório final. “Pode demorar mais alguns meses, porque temos outras tarefas também, broncas mais pesadas”, comentou. Ele não quis dar um prazo pra conclusão da bizolhada.

  •  

Deixe uma Resposta