• Postado por Tiago

INTERNA-SEIS-AABRE

Malacos desmancharam mais de 50 carangas na Maravilha do Atlântico

As investigações de um assalto que rolou no mês de maio, em Indaial, terminaram na descoberta de um desmanche de carangas roubadas dos grandes, em Balneário Camboriú. Três trastes foram grampeados, acusados de participação em atraques e de receptação de mercadoria de procedência pra lá de duvidosa. Ontem, durante o dia todo, peritos da diretoria estadual de investigações criminais (Deic) pintaram no local e viram que o estrago feito pelo trio foi grande.

As bizolhadas começaram depois que Marlene Holdorf foi rendida por três bandidos, no dia 22 de maio, em Indaial. Os trastes apontaram berros pra coitada, que pilotava a caminhonete S-10 branca, placa MBL-1919, e lascaram o mãos ao alto. Ela foi obrigada a dirigir até o interior de Navegantes, onde acabou largada pelos mulambentos. Apavorada, Marlene caminhou mais de uma hora, no escuro, até encontrar uma boa alma que lhe prestou socorro.

Há alguns dias, tiras de Indaial e da central de polícia de Blumenau receberam informações de que a caranga poderia estar mocosada pros lados da Maravilha do Atlântico, e pediram uma mãozinha ao pessoal da central de investigações do Balneário. Na quarta-feira, os homisdalei das três cidades se reuniram pra garantir o atraque aos criminosos, com pedinchos de prisão caneteados pela dona justa nas mãos.

A primeira turma seguiu pra baia de Willian Paganini, 18 anos, na rua José Honorato da Silva, bairro São Judas Tadeu. O moleque é acusado de ter participado do desmanche da S-10. Os tiras reviraram as coisas do aprendiz de malaco e encontraram o celular de Marlene. Willian ganhou o teje preso.

Enquanto isso, outro grupinho de puliças batia na casa de Renée Gonçalves Micheli, 23, na rua Maria Mansotto, na Barra. Com ele foi achada uma jaqueta idêntica a que a vítima tinha descrito como sendo a de um dos assaltantes. O traste também ganhou pulseirinhas de aço.

Ainda tinha uma ordem de busca pra cumprir na VL Santos Auto-Peças, que fica às margens da BR-101. O dono da baiuca é Vorlei Luís Santos, 40, e Willian era um de seus empregados. Os homis sabiam que tinha pedaços da S-10 por ali, mas não imaginavam que encontrariam tantas peças de origem suspeita em um só lugar, além de máquinas usadas pra picotar a lataria. Vorlei foi guentado em flagrante por receptação. O delegado André Manoel de Oliveira Filho, que comandou a operação, lacrou a baiuca.

Negócio sujo

Na delegacia, Renée foi reconhecido por Marlene como um dos assaltantes, e não teve como passar o migué pra tentar silivarar da jaula. Willian, por sua vez, soltou a língua e contou aos puliças que buscou a S-10 da muié a pedido de Vorlei. A caranga tava estacionada na rua 2500, pertinho da avenida Brasil. O mequetrefe disse que o patrão pediu que ele tivesse cuidado pra não cair nas garras dos meganhas, porque o possante tava com registro de furto. Ele revelou ainda que já tinha picotado mais de 50 carros pro Vorlei, e que ganhava 250 pilas a cada serviço.

Ontem, peritos da Deic, junto com policiais da central do Balneário, estiveram na auto peças pra tentar descobrir se tinha mais carros com registro de assalto ou furto por ali. Numa bizolhada rápida, encontraram peças de três veículos Corsa. Dois deles, de placas MEC-0111 e MBU-9327, tinham sido levados por bandidos no ano passado. O terceiro carro, com placa de São Paulo, foi surrupiado em um assalto.

Dotô André acredita que mais possantes que tavam com bandidos ainda possam ser encontrados, e vai seguir com as investigações. Como os três presos foram grampeados em flagrante, já tão guardados no cadeião da Maravilha do Atlântico.

  •  

Deixe uma Resposta