• Postado por Tiago

INTERNA-POLÍCIA-PÁGINA-CINCOauto-escola-rapa-sao-vicente-(1)

A Raphá tá suspensa por tempo indeterminado. Alunos terão que procurar a Ciretran

A corregedoria do Detran catarina fechou ontem mais uma autoescola no Itajaí. Desta vez, a escolhida foi a Raphá Cunha, do bairro São Vicente. A birosca respondia a nada menos que 11 processos, que incluíam desde certificados falsos de curso de renovação de carteira de motorista, até oferecimento de uma graninha ao pessoal da circunscrição regional (Ciretran) pra aprovar os alunos nas provas de direção.

A treta foi descoberta através de denúncias de clientes que foram sacaneados pela autoescola, e do pessoal da Ciretran, que andava de olho nas falcatruas. A Raphá recebia a grana das taxas dos alunos, mas ao invés de repassar ao Detran embolsava a bufunfa e deixava os clientes a ver navios.

Quando a pessoa reclamava da demora, os funcionários diziam que a culpa era do corpo mole da Ciretran, e pedinchavam uma graninha a mais, que segundo eles seria repassada a um funcionário do órgão pra agilizar o processo. ?As pessoas pensavam que o serviço era mal prestado pela Ciretran, quando na verdade o processo era retardado pelo próprio CFC (centro de formação de condutores)?, diz o mandachuva da corregedoria do Detran na Santa & Bela, Max Magno Vieira.

Pra completar, a Raphá também é acusada de dar aulas teóricas e práticas meia-boca. A autoescola invertia o esquema pra tirar a carteira, mandando o aluno fazer, por exemplo, as aulas de direção antes mesmo de ter feito o teste dos zóios, pra saber como tava a visão do candidato.

Esta não foi a primeira vez que a Raphá se meteu em apuros. O dono da autoescola, Luiz Andriel Pohlmann Mendes, 39 anos, já amargou cana duas vezes por sacanagens com a emissão de carteiras. Em abril, o cara tinha sido preso por ter oferecido uma graninha a um policial civil, pra que um de seus alunos fosse aprovado na prova da boleia.

Na semana passada, apenas dois meses depois de ter ganhado a liberdade, ele caiu nas garras dos tiras dinovo. Desta vez, ele foi acusado de ter assinado um certificado de curso de reciclagem pra um cliente, sem que o cara tivesse sequer pisado numa sala de aula. A denúncia foi feita pelo próprio motora, que descobriu a falcatrua depois que estranhou a demora em chegar sua nova carteira e quis saber como funcionava o processo.

Rapou geral

Max Magno conta que Luiz Andriel já tava com a ficha suja há um tempão. ?Ele tinha sido diretor da Haphá do centro, e chegou a ser descredenciado do Detran antes de assumir a Raphá do São Vicente?, afirma.

A Raphá tá suspensa por tempo indeterminado, e os alunos que tavam fazendo aulas terão que procurar a Ciretran pra buscar seus papélis e dar entrada a um novo processo em outra autoescola. ?A Raphá poderá recorrer administrativamente, no Detran, ou à justiça?, explica Max. Outras duas autoescolas peixeiras também já levaram carcadas. Há duas semanas, a Haphá do centro foi lacrada e ganhou alguns dias pra regularizar a situação. Já a Mathias fechou as portas de vez, e só poderá reabrir se recorrer à dona justa.

  •  

Deixe uma Resposta